GRIPEN NG

Centro de desenvolvimento é o primeiro marco no processo de transferência de tecnologia

Sediado em Gavião Peixoto (SP), local concentrará desenvolvimento do novo caça da FAB no Brasil
Publicado: 22/11/2016 11:15
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Jussara Peccini

A Força Aérea Brasileira (FAB) e as empresas de defesa e segurança Saab e Embraer dão um passo importante nesta terça-feira (22/11), em Gavião Peixoto (SP), com a inauguração do Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (na sigla em inglês: GDDN – Gripen Design Development Network). Este é o principal marco no processo de transferência de tecnologia entre Brasil e Suécia do projeto Gripen NG. Trata-se do primeiro da lista de 60 projetos de offset (compensações de natureza industrial, tecnológica ou comercial) avaliados em U$$ 9 bilhões.

“É o principal projeto em termos de compensação comercial. É por meio desta base [o GDDN] que vamos garantir o desenvolvimento conjunto do Gripen NG com os suecos”, analisa o gerente do projeto F-X2 da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), Coronel Júlio César Cardoso Tavares.

O evento de inauguração se inicia às 16h e contará com a presença do ministro da Defesa, Raul Jungmann, os presidentes da Saab, Håkan Buskhe, e da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva.

Quando estiver em pleno funcionamento, o GDDN deve abrigar em torno de 300 engenheiros e técnicos dedicados à nova aeronave de caça do Brasil, cujas 36 unidades devem ser entregues em cinco anos a contar a partir de 2019. Deste total, 23 serão produzidos pela Embraer, sendo 15 totalmente fabricados no Brasil. O centro brasileiro está conectado à Saab na Suécia e aos parceiros industriais no Brasil.

O processo de transferência de tecnologia iniciou há um ano com a ida de mais de cem engenheiros brasileiros para a Suécia. Até 2024, 350 profissionais participarão de cursos e treinamentos on-the-job no centro de pesquisa nórdico. Eles são peças-chave para que o País crie competências e capacidades técnicas para, ao final do programa, dominar todo o conhecimento crítico necessário para o desenvolvimento de aviões de caça. Neste mês, 20 profissionais do primeiro grupo enviado retornaram. Eles trabalharão no novo centro, onde também atuarão 12 engenheiros da Saab. 

O novo prédio fica no complexo industrial da Embraer no interior de São Paulo, onde também é produzido o cargueiro KC-390. Com quase 4mil m2 de área construída, o espaço abrigará os equipamentos de testes para o desenvolvimento do Gripen, entre eles o simulador de voo que verifica a funcionalidade dos sistemas. “Todos os testes realizados na Suécia também serão reproduzidos aqui”, explica o Coronel Tavares. “Parte dos ensaios de voos para certificação da aeronave serão feitos no Brasil”, complementa.

O Brasil vai investir U$$ 5bilhões na aquisição das novas aeronaves de alto desempenho. De acordo com a COPAC, o projeto pode ser considerado um mecanismo facilitador para que o País avance nesta área tecnológica. Para se ter uma ideia, a Suécia desenvolve caças desde 1924.

“Esse projeto vai permitir que o Brasil tenha autonomia para construir aviões de caça no futuro. É uma facilitação no esforço do País para desenvolver caças de alta performance”, afirma Coronel Tavares.