ESPORTE

Programa Forças no Esporte beneficia 200 crianças e jovens de Curitiba

Aliado da educação, esporte é usado como ferramenta de transformação
Publicado: 04/11/2016 08:00
Imprimir
Fonte: DECEA, por Denise Fontes

Com o objetivo de promover a inclusão social por meio do esporte, o Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) aderiu ao Programa Forças no Esporte (PROFESP) – que atende cerca de 200 crianças e adolescentes, na faixa etária de 07 a 17 anos, dos bairros do Cajuru, em Curitiba, e de Vargem Grande, em Pinhais.

Implantado em maio de 2015, o projeto é desenvolvido por meio de parceria entre os Ministérios da Defesa, do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Aula de atletismo

O comandante do CINDACTA II, Coronel Alvaro Wolnei Guimarães, explica que a ideia é minimizar a situação de exclusão e risco social dessas crianças e adolescentes, por meio de atividades esportivas. “Nós trabalhamos com jovens que vivem em locais de risco e que possuem vulnerabilidade social. Nossa grande preocupação é preencher o tempo deles com atividades esportivas, além de despertar valores morais, sociais e cívicos”, revela Coronel Wolnei, que atua como coordenador-geral do PROFESP.

Nutricionista, assistente social, psicóloga, pedagoga, educador e professor de educação física estão entre os profissionais envolvidos no programa. Ao todo, 20 voluntários – militares do efetivo – apoiam nas atividades administrativas, esportivas e socioeducativas.

As atividades acontecem três vezes por semana, durante o contraturno escolar. A unidade oferece duas refeições diárias e práticas esportivas, como futebol de salão, basquete, atletismo, corrida de orientação, artes marciais, xadrez, além da aula de música.

Mudança de vida – O PROFESP mostra na prática como o esporte é um aliado na educação e pode ser usado como um instrumento de transformação. A Tenente Patrícia Haendel de Oliveira Mota atua no apoio pedagógico e declara que os reflexos do programa podem ser notados no comportamento, no desempenho escolar e no próprio dia a dia desses estudantes. “O PROFESP está sendo muito importante para o desenvolvimento, o crescimento e a formação desses jovens”, conta a miitar.

A melhora no rendimento escolar também é comemorada pela direção de várias escolas participantes do programa. “Houve uma mudança muito grande de comportamento dos alunos não só na vida escolar, mas também na pessoal. Notamos alteração na postura, nas notas e também na expectativa de almejar um futuro diferenciado”, analisa a coordenadora da Gerência de Projetos da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, Marcia Cristina Ortiz Frigato.

A disciplina, a convivência e as aulas serviram para despertar na aluna Milena Victoria Wieczrkowski, de 17 anos, o interesse pela carreira militar. Ela viu nos instrutores um caminho a ser seguido. “Eu também quero ser sargento da Aeronáutica. Vou estudar para prestar concurso”, afirma a jovem.

Para o coordenador do projeto, Capitão da Reserva Áureo dos Santos Marcondes, o PROFESP abre novas perspectivas de vida para esses jovens: “Apesar da principal finalidade do programa ser o combate à exclusão social, a iniciativa também tem proporcionado a revelação de atletas”.

Os jovens Gustavo da Silva Amaral e Thays Pereira de Oliveira são algumas dessas promessas. Ele foi campeão na modalidade Sprint, que tem o objetivo de permitir a participação dos atletas em uma corrida de ori
entação em ambiente urbano. Já no feminino, Thays conquistou a terceira colocação.

Aula de música

Responsabilidade Social – Para a vice-diretora da Escola Municipal Prefeito Omar Sabbag, Roseli Percegona, apresentar oportunidades é o principal objetivo do projeto. “A maioria dos alunos é muito carente e possui problemas de estrutura familiar. Com o programa, temos percebido mudanças de valores e um resgate de autoestima. Eles recebem atenção que muitas vezes não têm em casa”, afirma.

Segundo o Coronel Wolnei, a participação da Força Aérea é importante pelo contato que os estudantes têm com os militares. “A expectativa é dobrar o número de participantes em 2017. “Todo o efetivo está engajado com a causa. É enorme a satisfação em saber que podemos ser a diferença na vida de cada uma dessas crianças e adolescentes”.

Fotos: Fábio Maciel