SAÚDE

Hospital de Canoas inaugura unidade remota para atendimento em catástrofes e acidentes

Força Aérea já pssui oito unidades como essa no País
Publicado: 30/09/2016 07:00
Imprimir
Fonte: HACO, por Ten Fabiana Cintra
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Cynthia Fernandes

Simulação de atendimento dentro dos módulos de UCSO Hospital de Aeronáutica de Canoas (HACO) realizou na última sexta-feira (23/09), a inauguração da Unidade Celular de Saúde (UCS), uma espécie de mini hospital de campanha. Ao todo, a Força Aérea Brasileira conta com oito unidades como essa, utilizadas para atendimento de saúde em locais de catástrofes naturais e acidentes diversos.

O evento contou com a presença do Comandante do Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR), Major-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas; o Chefe de Estado-Maior do V COMAR, Coronel Omar José Sarmento dos Santos, e do Diretor do HACO, Coronel Médico Cloer Vescia Alves.

A unidade de saúde possui três módulos de atendimento. O módulo voltado para a área de emergência/trauma possui três leitos, sendo um destinadImagem Aérea da UCSo à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e com infraestrutura completa para atendimento de pacientes graves, até a transferência para um hospital da região. O módulo de observação é voltado para atendimento de pacientes em casos estáveis, onde possui quatro e seis leitos. A parte administrativa é montada num espaço separado, onde é necessário prover todo o suporte de atendimento a esses pacientes.

Para o funcionamento da Unidade Celular de Saúde, são necessárias duas equipes compostas por: um médico cirurgião, um traumatologista, um clínico geral, um enfermeiro, sete técnicos de enfermagem, além de profissionais administrativos. O mini hospital remoto também possui gerador próprio e climatização que suporta temperaturas extremas, de 0°C a 40°C, permitindo o transporte e ativação em qualquer parte do território brasileiro.

Cerca de 250 militares, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos, dentistas e outras especialidades administrativas do HACO foram acionados para realizar o treinamento, no qual ocorreram oficinas de operação e atendimentos de saúde. Outras duas fases de testes já haviam sido realizadas para validar o pleno funcionamento da unidade. 

O diretor do hospital destacou a importância da unidade. “A FAB fez investimentos em equipamentos e materiais cuja utilização passa a dotar o HACO de maior capacidade operacional para pronto emprego da unidade no âmbito da medicina de campanha”, declara.