BALANÇO

Mais de 7 mil atletas e técnicos treinaram em centro da Aeronáutica durante a Rio 2016

Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica recebeu atletas olímpicos e paralímpicos, além de comissões técnicas
Publicado: 26/09/2016 16:45
Imprimir
Fonte: CDA
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Gabrielli Dala Vechia

O Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, sede Afonsos e sede Barra, serviu como base de preparação para mais de 7 mil atletas olímpicos e paralímpicos e comissões técnicas. No período dos Jogos Olímpicos, mais de 5.000 pessoas utilizaram o Centro, sendo aproximadamente 3.600 atletas e 1.400 membros de comissões técnicas. Já na Paralimpíada, cerca de 2.000 atletas realizaram o seu treinamento no complexo da Força Aérea Brasileira (FAB), somados a aproximadamente 1.000 membros de comissões técnicas, o que totaliza mais de 3.000 pessoas. Na sede Afonsos, o complexo recebeu atletas das modalidades de voleibol, voleibol sentado, pólo aquático, natação e atletismo olímpicos e paraolímpicos; já a sede Barra serviu como base de treinamento para atletas do rugby e rugby em cadeira de rodas.

O Presidente da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA), Brigadeiro do Ar Arnaldo Augusto do Amaral Neto, destacou a importância da participação da FAB no treinamento das equipes. “A Força Aérea Brasileira, por meio de seu apoio administrativo à RIO 2016, foi decisiva para a realização dos Jogos. Trabalhamos arduamente para construir um Centro de Treinamento Olímpico de excelência para apoiar os atletas e garantir o sucesso do evento", afirma.

Segundo o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, passada a Olimpíada, as instalações devem fomentar o esporte de alto rendimento no País. “Continuaremos desenvolvendo nossos atletas e teremos condições de fazer acordos com outros órgãos governamentais para envolver as comunidades do entorno dessas novas instalações”, planeja.
 
Dos 39 atletas da FAB convocados para os Jogos, quatro conquistaram medalhas. O Sargento Thiago Braz da Silva, conquistou o ouro no salto com vara na competição e quebrou o recorde olímpico saltando 6,03m. Já o Sargento Arthur Zanetti, de 26 anos, conquistou a prata na modalidade de argolas. Estreante em Olimpíadas, o Sargento Arthur Nory Mariano conquistou a medalha de bronze na prova individual do solo na ginástica artística. O Sargento Maicon Siqueira conquistou a medalha de bronze no taekwondo, categoria acima de 80 kg.

Centro foi adaptado para Paralimpíada

Com o término da Olímpiada e início da Paralímpiada, o Centro de Treinamento da Aeronáutica foi adaptado para receber os atletas paralímpicos. Todas as instalações receberam rampas de acesso, como banheiros, centro médico, vestiário e área da administração. Foram ainda instaladas rampas para a entrada e saída dos ônibus das equipes e piso tátil para facilitar a mobilidade dos atletas com deficiência visual. Além das adaptações de acessibilidade nos locais de treinamento, foram instalados 23 setores para arremesso e lançamento, dentre eles 15 plataformas oficiais de competição para cadeirantes que garantem segurança para a prática esportiva.

O Presidente da CDA, que foi convidado pela organização dos Jogos a entregar premiação aos atletas brasileiros da modalidade de vôlei sentado, explicou a emoção de participar do evento. “Foi muito emocionante participar da premiação, os atletas paralímpicos são verdadeiros heróis, mesmo com todas as dificuldades físicas eles conseguem apresentar desempenho de alto rendimento desportivo e manter sempre uma atitude positiva, um sorriso no rosto e uma incrível garra para superar todas as adversidades”, afirma o Brigadeiro Amaral.

Instalações

A sede Afonsos conta com piscina olímpica e pista de atletismo homologadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), um ginásio poliesportivo e uma área de arremesso e de lançamento. Também fazem parte do conjunto de obras um alojamento com capacidade para 142 pessoas e as instalações do Instituto de Ciências da Atividade Física (ICAF) – que deverá ser um centro de estudos, de caráter dual civil/militar, voltado para o entendimento da performance e do desenvolvimento humano, tanto na área esportiva quanto militar. Na sede Barra estão disponíveis uma pista de atletismo, um ginásio poliesportivo e três quadras de rugby.