SAÚDE

Hospital da FAB recebe selo de qualidade laboratorial pelo 15º ano consecutivo

Laboratório do Hospital de Aeronáutica de Canoas teve mais de 90% de assertividade nos exames durante o ano
Publicado: 30/08/2016 11:00
Imprimir
Fonte: SCS HACO, por 2º Ten REP Fabiana Cintra
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Gabrielli Dala Vechia

Laboratório conquistou a Categoria Platina de Qualidade/ Foto: Sargento RibasO laboratório do Hospital de Aeronáutica de Canoas (HACO) recebeu, pelo 15º ano consecutivo, o Selo de Qualidade Laboratorial no nível "excelente", concedido pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas. Isso eleva o laboratório à Categoria Platina de excelência. Ao todo, são avaliados quase 5 mil laboratórios e, nesse nível, constam apenas 250. As categorias variam de Bronze (3 anos) a Diamante (20 anos).

Segundo o chefe do Laboratório, Tenente Bruno Baesso Leite, o prêmio significa segurança aos usuários dos serviços. Para a premiação, há uma avaliação mensal por meio do envio de amostras aos certificadores. "O laboratório precisa atingir mais de 80% de assertividade, ou seja, nível máximo de certeza e menor margem de erro no resultado laboratorial. Neste ano, o laboratório do HACO alcançou 90,87%, ultrapassando o índice", afirma. Foram avaliados 4.670 laboratórios no País/ Foto: Sargento Ribas

O farmacêutico explica que, conforme orienta a ANVISA, todos os laboratórios do Brasil precisam fazer parte de programas de avaliação externa de qualidade e para cada resultado considerado não aceitável - ou seja, 9%, no caso do HACO, abre-se um relatório para análise das causas e implementação do plano de ação corretiva. Segundo o Tenente Baesso, esse tipo de avaliação permite analisar a gestão e a sistemática geral dos processos laboratoriais, como transporte, rastreabilidade, transcrição de resultados, acondicionamento, entre outros aspectos.

"Esse reconhecimento do laboratório demonstra que nós possuímos um rigoroso sistema de gestão da qualidade focado no melhoramento contínuo dos processos, elevado nível técnico dos profissionais e investimento da Força Aérea Brasileira em equipamentos modernos, insumos e mão de obra qualificada", avalia o militar.