RIO 2016

Balanço do tráfego aéreo nos Jogos Olímpicos destaca pontualidade dos voos

O dia seguinte ao encerramento da Olimpíada registra o maior movimento aéreo no Galeão
Publicado: 25/08/2016 11:00
Imprimir
Fonte: DECEA, por Denise Fontes
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria

Mais de um milhão de pessoas de 206 países estiveram no Brasil para acompanhar a Olimpíada. Entre chegadas e partidas, atletas, turistas e chefes de Estado cruzaram o espaço aéreo brasileiro.

Os números demonstram a dimensão do evento. Segundo dados do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), entre domingo (21/08), dia do encerramento da Olimpíada, e segunda-feira (22/08), o Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, registrou uma média de 1000 movimentos aéreos e o Aeroporto Santos Dumont atingiu cerca de 700, entre pousos e decolagens.

O dia seguinte à festa de encerramento foi o de maior movimento aéreo. O Galeão teve 524 pousos e decolagens, sendo 367 voos domésticos e 157 internacionais. O pico de tráfego aéreo foi entre 8 e 9 horas da manhã e 9 e 10 da noite, com 33 movimentos aéreos por hora. Esse aumento é decorrente do regresso de chefes de Estado, delegações de atletas, família olímpica e turistas aos seus países de origem. O aeroporto teve, também, um recorde histórico de movimento, com 85 mil passageiros, mais que o dobro de um dia normal.

Segundo o chefe da Sala Master de Comando e Controle, Brigadeiro do Ar Luiz Ricardo de Souza Nascimento, foi feito um planejamento antecipado, visando atender o aumento do fluxo do tráfego aéreo durante os Jogos Olímpicos. “Conseguimos atender a demanda esperada. Tudo ocorreu da melhor maneira possível”, concluiu.

Pontualidade nos voos - Nos 17 dias de Olimpíada, os aeroportos de cidades que sediaram jogos registraram pontualidade nos voos, em torno de 95%. “Essa integração dos órgãos envolvidos na Sala Master facilitou as tomadas de decisões, minimizando os impactos de possíveis atrasos”, afirmou o Brigadeiro Luiz Ricardo.

Para a Paralimpíada, o chefe da Sala Master assegura que o trabalho continua. "Só termina essa missão no dia que o último atleta paralímpico sair do Brasil", garantiu o oficial-general.

Batismo - O Airbus A 380, da Air France, maior aeronave comercial do mundo, pousou pela primeira vez no Galeão às 20h05 do dia 22 para transportar a delegação francesa. O gigante dos ares foi batizado no pátio com jatos d´água.

 

Assista à reportagem sobre o balanço do tráfego aéreo: