RIO 2016

Livro que mostra o lado esportista de Alberto Santos-Dumont é lançado no Rio

Brasileiro é o único até hoje a ter recebido o Diploma Olímpico do Comitê Olímpico Internacional
Publicado: 04/08/2016 19:45
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Emília Maria

Na véspera da abertura oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica (INCAER) foi o local do lançamento de um livro que ressalta a ligação de Alberto Santos-Dumont com os esportes. “Santos-Dumont, Aviador Esportista: O Primeiro Herói Olímpico do Brasil”, dos autores Ana Miragaya e Lamartine da Costa, homenageia o inventor brasileiro e resgata o fato de ter sido o único brasileiro a receber a Medalha Olímpica do Comitê Olímpico Internacional (COI), por iniciativa de Pierre de Coubertin, em 1905.

“O lançamento do livro nessa data é uma grande oportunidade. Coubertin era admirador da tecnologia e Santos-Dumont foi o primeiro a organizar competições aéreas. Eles tinham muito em comum”, disse o Vice-presidente da ISOH - International Society of Olympic Historians (Sociedade Internacional de Historiadores Olímpicos).

Ana Miragaya é uma das autoras

Lamartine também destacou a relevância da data e do local escolhidos para o evento. “Abordar e mostrar Santos-Dumont como herói e fazer isso na casa dele, que é a Aeronáutica, é muito importante para todos nós. O que nos interessa aqui é a educação e a cultura de todo o País. É nosso compromisso como educadores”, ressaltou o Professor Doutor.

Ana Miragaya fez uma apresentação sobre a obra e pontuou as características que são exemplos no Patrono da Aviação. “Suas atitudes e postura são exemplares. Tinha aspectos destacados e ainda hoje esperados de atletas, como honestidade, cavalheirismo, respeito, coragem e superação”, disse ela.

Entrega de placa ao sobrinho-neto de Santos-Dumont

O Comandante da Universidade da Força Aérea (UNIFA), Tenente-Brigadeiro do Ar Paulo João Cury, emocionou-se ao falar sobre o encontro dos sobrinhos-netos de Santos-Dumont, Alberto Dodsworth Wanderley, e do idealizador dos Jogos Olímpicos, Yvan de Coubertin. “Adoro esportes e tecnologia. Quis o destino que eu estivesse à frente da UNIFA neste momento histórico em que estamos reconstruindo, com os descendentes de Coubertin e Santos-Dumont, o que não foi possível em 1905”, disse no momento em que foi realizada a entrega de uma placa alusiva à homenagem, referindo-se ao fato de que o Diploma Olímpico não foi entregue ao brasileiro pessoalmente pelo francês na época da outorga.

 

Saiba mais sobre a produção do livro.

Assista à matéria sobre o lançamento:

imagens/original/30701/160804hei2302(c)heitor nascimento.jpg
imagens/original/30701/160804hei2315(c)heitor nascimento.jpg
imagens/original/30701/160804hei2316(c)heitor nascimento.jpg
imagens/original/30701/160804hei2345(c)heitor nascimento.jpg