SALVAMENTO

Veleiro argentino é encontrado sem combustível

O veleiro partiu de Angra dos Reis (RJ) com destino a La Plata e estava desaparecido desde nove de julho
Publicado: 22/07/2016 17:00
Imprimir
Fonte: Salvaero Curitiba
Edição: Agência Força Aérea, por Ten João Elias

O Veleiro Argentino Taipan foi encontrado nesta sexta-feira (22/07) sem combustível e atracado numa ilha aguardando ajuda.  A missão estava sendo coordenada pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento de Curitiba (Salvaero), unidade operacional do Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) responsável pela coordenação das missões de busca a aeronaves e embarcações na região sul do país. O veleiro havia partido de Florianópolis (SC), no dia 09 de julho, com previsão de chegada a La Plata, na Argentina, no dia 14.

As buscas tiveram início após a notificação por parte do proprietário do atraso do veleiro. A Força Aérea Brasileira recebeu pedido de ajuda da Marinha do Brasil na terça-feira (19/07). As operações foram coordenadas pelo Salvaero Curitiba, em conjunto com o Salvamar Sul, órgão da Marinha responsável pelas buscas com embarcações.

Foi usada na missão a aeronave da P-95 Bandeirulha, do esquadrão Phoenix (2°/7°GAV), sediado em Florianópolis, além de um helicóptero e um navio da Marinha. Durante os três dias de buscas foram voadas mais de 20 horas, cobertas mais de 38.000 milhas náuticas quadradas.

Após uma informação passada por um barco pesqueiro, a localização do veleiro foi confirmada pela aeronave da FAB nas proximidades da costa de Santa Catarina, ao sul de Florianópolis. 

De acordo com o coordenador da missão, Capitão Marconi Augusto Farias de Oliveira, o ocupante do veleiro estava bem. Ele foi contratado pelo proprietário da embarcação, comprada há cerca de três anos, para levá-la de Angra dos Reis (RJ) até a Argentina. No dia em que partiu da capital catarinense a previsão era de mau tempo com frente fria.

“É uma satisfação prestar apoio, auxiliando uma pessoa com problema e poder ajudá-la a voltar para casa”, ressaltou o oficial.