ORDEM DO DIA

DIA DA AVIAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO

Publicado: 26/06/2016 07:00
Imprimir
Fonte: COMGAR

DIA 26 DE JUNHO DE 2016. HÁ EXATOS QUARENTA E NOVE ANOS, A FORÇA AÉREA BRASILEIRA RECLAMAVA DA FLORESTA O REGRESSO DE VINTE E CINCO BRASILEIROS QUE HAVIAM SIDO TRAGADOS PELA IMENSIDÃO VERDE E HOSTIL DE NOSSA SELVA AMAZÔNICA.

NARRAR A TRAGÉDIA DO FAB 2068 É FALAR DE HEROÍSMO. HEROÍSMO QUE SE TRADUZ POR VIRTUDES EXCEPCIONAIS, QUE NÃO FALTARAM AOS PROTAGONISTAS DAQUELE EPISÓDIO COMPARTILHADO POR SALVADORES E RESGATADOS.

A MISSÃO ENVOLVIA SEGURANÇA NACIONAL. A BASE DE APOIO À NAVEGAÇÃO AÉREA DE CACHIMBO, NO PARÁ, HAVIA RECEBIDO INFORMES DE QUE UM ATAQUE INDÍGENA ERA IMINENTE E PODERIA TOMAR AQUELE CAMPO. REFORÇOS URGENTES FORAM SOLICITADOS À PRIMEIRA ZONA AÉREA.

A MADRUGADA DO DIA 16 DE JUNHO DE 1967 RESERVARA SUAS PRIMEIRAS HORAS PARA OS CAPÍTULOS INICIAIS DE UMA VERDADEIRA ODISSEIA QUE ESTARIA POR SE CUMPRIR.
O C-47 FAB 2068 DECOLOU DE BELÉM, POUSOU EM JACAREACANGA PARA REABASTECIMENTO E PROSSEGUIU AO SEU DESTINO, SEM NUNCA TER CHEGADO.

APÓS 7 HORAS E 55 MINUTOS, OS POSSANTES MOTORES DO C-47 COMEÇARAM A FALHAR. TODOS A BORDO SABIAM QUE AQUILO PODERIA ACONTECER A QUALQUER MOMENTO: O COMBUSTÍVEL ESTAVA SE ESGOTANDO.

VOANDO MUITO PRÓXIMO AO TOPO DA FLORESTA, A AERONAVE COMEÇOU A PERDER ALTURA E A CURVAR-SE LENTAMENTE. EM SEGUIDA, HOUVE UM LEVE ROÇAR DOS GALHOS NA FUSELAGEM, SEGUIDO DO TOQUE BRUSCO SOBRE AS GRANDES ÁRVORES E, POR ÚLTIMO, DA INEVITÁVEL COLISÃO DAS ASAS CONTRA OS TRONCOS MAIORES. RAPIDAMENTE A AERONAVE GUINOU E MERGULHOU NA FLORESTA.

A MAIOR MISSÃO DE BUSCA E SALVAMENTO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA JÁ TINHA SEU PALCO, A IMENSIDÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA.

EM MEIO ÀS GRANDES DIFICULDADES DO ACIDENTE, DESTACOU-SE A ABNEGAÇÃO DO CABO BARROS QUE, COM O CORPO TOTALMENTE QUEIMADO, ABASTECIA OS SOBREVIVENTES COM ÁGUA, SEM LAMENTAR-SE DE ABSOLUTAMENTE NADA.

ÀS VÉSPERAS DA CHEGADA DO SOCORRO, O CB BARROS, DEPOIS DE CUMPRIR MAIS UMA VEZ O RITUAL DE SACIAR A SEDE DOS COMPANHEIROS, DEITOU-SE SILENCIOSAMENTE AO CHÃO. O DERRADEIRO SUSPIRO DO CB BARROS TOTALIZOU EM VINTE A QUANTIDADE DE MORTOS.

NO DIA 26 DE JUNHO PELA MANHÃ, A AERONAVE ALBATROZ FAB 6539 DESVIAVA-SE DO PADRÃO DE BUSCA E APROAVA URUBUS QUE VOAVAM EM CÍRCULOS SOBRE A MATA. OS TRIPULANTES AVISTARAM OS DESTROÇOS NAS PROXIMIDADES DO MUNICÍPIO DE TEFÉ.

DIANTE DA VISÃO RECOMPENSADORA, COM PROFUNDA EMOÇÃO, O SGT TELEGRAFISTA COMUNICOU ATRAVÉS DA FREQUÊNCIA DE SEU EQUIPAMENTO:
“ACHAMOS O 2068!”

A TRAGÉDIA DO FAB 2068 ESCREVIA, ENTÃO, A HISTÓRIA DA MAIOR OPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO DA AVIAÇÃO BRASILEIRA ATÉ ENTÃO. PARTICIPARAM DESSA MISSÃO TRINTA E TRÊS AERONAVES. FORAM VOADAS MIL E CINQUENTA E TRÊS HORAS E CINQUENTA MINUTOS.

COUBE AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, ARTHUR DA COSTA E SILVA, DIMENSIONAR A TRAGÉDIA E A VITÓRIA DA AVIAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA COM AS SEGUINTES PALAVRAS: “O RESGATE DOS SOBREVIVENTES DO AVIÃO 2068 TRANSCENDE A HISTÓRIA E A ATMOSFERA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA, IMPREGNADA DO ESPÍRITO HERÓICO DE NOSSA JUVENTUDE, PARA SUGERIR-NOS UM SÍMBOLO DE BRAVURA, DA ENERGIA E DA PERSEVERANÇA DE TODO POVO BRASILEIRO, NO DESBRAVAMENTO DA SELVA AMAZÔNICA E NA AFIRMAÇÃO CADA VEZ MAIS VIGOROSA, DE NOSSA SOBERANIA, EM UMA DAS MAIS VASTAS E FABULOSAS REGIÕES DA TERRA. É UM EPISÓDIO QUE NOS ENCHE DE EMOÇÃO, COMO SERES HUMANOS, E DE ORGULHO, COMO HABITANTES DESTE PAÍS”.

DO LONGÍNQUO 26 DE JUNHO DE 1967, PASSANDO PELO ATENDIMENTO ÀS VÍTIMAS DO TERREMOTO NO PERU, EM 1970, O APOIO NAS ENCHENTES DA BOLÍVIA, EM 2007, OS ACIDENTES DO VARIG 254 NO XINGU, DO AIR FRANCE 447, NO ATLÂNTICO, E DO GOL 1907, NA REGIÃO DE CACHIMBO, ATÉ OS DIAS DE HOJE, FORAM MUITAS AS LIÇÕES APRENDIDAS E INÚMERAS AS MISSÕES QUE EVIDENCIARAM A NECESSIDADE DE ENTROSAMENTO ENTRE AS EQUIPES DE COORDENAÇÃO, AS UNIDADES AÉREAS E AS EQUIPES DE RESGATE.

A II FORÇA AÉREA, ORGANIZAÇÃO RESPONSÁVEL PELO PREPARO DAS UNIDADES AÉREAS DE BUSCA E SALVAMENTO, TEM REALIZADO TRABALHO DE DESTAQUE NO APRESTAMENTO DAS UNIDADES, MEDIANTE A REALIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS QUE VALIDAM A EFICIÊNCIA OPERACIONAL E A EXCELÊNCIA NO CUMPRIMENTO DA MISSÃO SAR.

ENTRETANTO, NOVOS DESAFIOS TECNOLÓGICOS EXIGEM A ATUALIZAÇÃO DA DOUTRINA DE BUSCA E SALVAMENTO, COMO A POSSIBILIDADE DE REABASTECIMENTO EM VOO DAS AERONAVES H-36 CARACAL, A CHEGADA DOS NOVOS SC-105 AMAZONAS SAR, COM COMUNICAÇÃO POR SATÉLITE, RADAR DE ABERTURA SINTÉTICA E SISTEMAS ELETRO-ÓPTICOS E INFRAVERMELHOS DE ALTA RESOLUÇÃO, ALÉM DA OPERAÇÃO COM ÓCULOS DE VISÃO NOTURNA EM TODAS AS AERONAVES. TUDO ISSO, AMPLIARÁ A CAPACIDADE OPERACIONAL NAS MISSÕES DE BUSCA, ESTENDENDO-A ALÉM DO ALCANCE VISUAL.

A AVIAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO NÃO PERDE DE VISTA O PASSADO DE FEITOS ABSOLUTAMENTE ADMIRÁVEIS E MANTÉM A MESMA TEMPERANÇA DE SEUS ANTECESSORES.
HOJE, TEMOS A CERTEZA DE QUE A AÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO REPRESENTA A EXCELÊNCIA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA E DO BRASIL PARA QUE A ATIVIDADE AÉREA, EM TODOS OS SEGMENTOS, SEJA REALIZADA NUM AMBIENTE MAIS SEGURO, COM A CERTEZA DO RESGATE, SE ASSIM FOR NECESSÁRIO.

QUE A VIGOROSA E EXPRESSIVA FRASE: “EU SABIA QUE VOCÊS VIRIAM!”, SEJA O NORTE, SEGUIDO COM O PROPÓSITO INABALÁVEL DE RENOVAR OS COMPROMISSOS DE ONTEM E DE SEMPRE...

...PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER!

TEN BRIG AR GERSON NOGUEIRA MACHADO DE OLIVEIRA
COMANDANTE-GERAL DE OPERAÇÕES AÉREAS