RIO 2016

Seminário em Brasília reúne autoridades da Defesa Nacional

Durante o evento, a FAB apresentou como será a atuação na defesa aérea
Publicado: 22/06/2016 15:35
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten João Elias

  O seminário “Emprego do Ministério da Defesa na Segurança dos Jogos Rio 2016”, que acontece em Brasília (DF) até amanhã (23/06), reúne autoridades do eixo de Defesa Nacional envolvidas nas Olimpíadas. O objetivo é apresentar o planejamento dos comandos militares que atuarão na segurança dos Jogos, bem como a integração das Forças Armadas com os órgãos de Segurança Pública e Inteligências federais, estaduais e municipais.

De acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, até o momento, pelo menos, 38 mil militares vão atuar durante os jogos. “Nós estamos há sete anos planejando essas Olimpíadas e fizemos uma imensa quantidade de eventos-teste, testamos tudo, simulamos todas as situações possíveis. Para nós a palavra chave em termos de operar, de cuidar, de defesa, inteligência e segurança é integração”, explicou.

  Uma das novidades nas Olimpíadas será o Centro de Inteligência de Serviços Estrangeiros (CISE) que contará com uma atuação conjunta com representantes de 113 agências internacionais. “Todas essas agências de inteligência vêm para cá para aprender e vêm para cá para nos trazer o modus operandi, as listas, as relações das pessoas que eles têm como perigosas ou suspeitas”, ressaltou o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, Sérgio Etchegoyen.

Já o Ministro da Justiça e da Cidadania, Alexandre de Moraes, afirmou que o Brasil assinou um acordo nessa terça-feira (21/06) com os Estados Unidos para compartilhamento de um software que permita o controle integrado das pessoas nos aeroportos. “A população pode ficar absolutamente tranqüila. Todas as medidas estão sendo tomadas para prevenir a criminalidade”, disse.

  Durante o seminário, a Força Aérea Brasileira (FAB) apresentou como será a atuação na área da Defesa Aérea. "Nós nos preparamos em termos de cobertura de todo o território nacional contra qualquer tipo de ameaça aérea. Na prática nós já efetuamos isso naturalmente através do Comando de Defesa Aereoespacial Brasileiro e agora reforçamos as atividades junto aos outros órgãos que vão atuar no evento”, concluiu o Major-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara.

Veja a entrevista abaixo com o Major-Brigadeiro Potiguara: