ÁGATA 11

FAB presta apoio à agências governamentais na fiscalização das fronteiras

Agentes da ANAC, do Ibama e das Polícias Federal e Civil foram transportados para cidades próximas a Bolívia
Publicado: 17/06/2016 08:00
Imprimir
Fonte: VII COMAR, COMDABRA
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Jussara Peccini

  Ao longo desta semana, a Força Aérea Brasileira (FAB) presta apoio logístico às agências governamentais que participam da Ágata 11 na região Norte do País. Fiscais e agentes de órgãos federais e estaduais realizam inspeções durante a operação coordenada pelo Ministério da Defesa que reforça a presença do Estado nos mais de 16 mil km de fronteira.

Na terça-feira (14/06) um avião C-95 Bandeirante do Esquadrão Cobra (7º ETA), sediado em Manaus (AM), transportou fiscais da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para realização de inspeções. Os agentes partiram da capital amazonense para o aeroporto de Porto Velho (RO), onde foram fiscalizadas aeronaves em trânsito e estacionadas no pátio do aeródromo. “O apoio da FAB é fundamental para o sucesso da Operação. A atuação conjunta dos órgãos permite deslocamento dos fiscais para áreas remotas do País com total segurança para realizar o trabalho”, destaca o Gerente de Operações da ANAC, Marcelo de Souza Carneiro.

A aeronave também foi empregada para transportar na quarta-feira (15/06) agentes da Secretaria do Desenvolvimento Ambiental de Roraima, do Ibama e das Polícias Federal e Civil para Guajará-Mirim e Forte Príncipe da Beira, em Rondônia. Os profissionais reforçam a fiscalização nas cidades localizadas na região de fronteira com a Bolívia.

Operação Ágata - Um dos objetivos da Operação Ágata 11 é intensificar a presença do Estado brasileiro junto à faixa de fronteira com países sul-americanos, contribuindo para o combate de ações ilegais como contrabando, tráfico de drogas, de pessoas, de armas, entre outros. Os agentes combater crimes transfronteiriços como narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, imigração e garimpo ilegais, entre outros ilícitos. O teatro de operações engloba 710 municípios, sendo 122 limítrofes, e conta também com a atuação da Marinha e do Exército, além de profissionais de agências governamentais e órgãos federais, estaduais e municipais, envolvendo mais de 11 mil pessoas.