OPERACIONAL

Exercício de guerra aérea padrão OTAN é realizado em Anápolis (GO)

Esquadrões que operam a aeronave C-105 Amazonas realizam voos táticos
Publicado: 11/04/2016 08:00
Imprimir
Fonte: 1°/15° GAV e 1º/9º GAV
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Cynthia Fernandes

EXOP_ARARAONÇA_2016_C-105_8  2 TEN CERUTTIOs esquadrões Onça (1º/15º GAV) e Arara (1º/9º GAV), da Força Aérea Brasileira (FAB), participam do Exercício Operacional Araronça 2016 na Base Aérea de Anápolis (BAAN), em Goiás, até o dia 19 de abril. O objetivo é a troca de conhecimentos e o emprego em conjunto das unidades aéreas que operam a aeronave C-105 Amazonas.

Ao todo, 32 pilotos e 50 graduados, entre mecânicos, mestres-de-carga, estão envolvidos no exercício operacional. Os militares treinam a capacidade de operar a aeronave C-105 Amazonas em missões de lançamento de cargas, usando técnicas de navegação à baixa altura e manobras contra ameaças nos mesmos moldes do que é utilizado pelas Forças Aéreas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

EXOP_ARARAONÇA_2016_C-105_4  2 TEN CERUTTIComo parte do exercício, os esquadrões vão realizar voos táticos em busca de elemento surpresa. Por isso, além de voar abaixo da cobertura dos radares, também executarão voos à noite, o que exige dos militares o domínio da utilização dos óculos de visão noturna (NVG, do inglês Night Vision Goggles). Serão realizados, ainda, pousos e decolagens táticos.

A BAAN possui as condições ideais para a realização desse tipo de adestramento, devido às unidades nela sediadas: o Esquadrão Gavião (2°/6° GAV), com as aeronaves E/R-99, e o 1° Grupo de Defesa Aérea (GDA), com caças F-5; além do Terceiro Grupo de Defesa Antiaérea (3° GDAAE), com o radar SABER e mísseis IGLA-S. “Assim as unidades da aviação de transporte têm a oportunidade de interagir e agregar conhecimento técnico e operacional para que suas tripulações possam melhor compreender as nuances do combate aéreo moderno”, afima o Tenente-Coronel Cláudio Faria, comandante do Esquadrão Onça.