SEU DINHEIRO

É hora de definir seu plano de investimentos

Veja dicas de como investir seu dinheiro
Publicado: 06/03/2016 08:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

  Como você se vê daqui a 20, 30 ou 40 anos? Está na hora de pensar nos objetivos de vida. Após explicar metas de curto e médio prazos, esta edição do Notaer traz informações para conquistar metas de longo prazo.

Se o seu principal objetivo é ter uma aposentadoria tranquila, por exemplo, uma ideia de investimento são os planos de previdência privada. No entanto, há outras opções, como os títulos do Tesouro Direto www.tesouro.fazenda.gov.br. Você pode pesquisar opções mais rentáveis e vantajosas de investimentos. Use a calculadora do cidadão, disponível no site do Banco Central do Brasil www.bcb.gov.br.

Você pode querer abrir o próprio negócio, pagar a faculdade dos filhos, investir em um imóvel. Todos esses sonhos, colocados no papel e divididos em etapas, podem se tornar realidade, pois significam a motivação para poupar.

Os investimentos destinam-se a financiar seus planos para o futuro. Para ter certeza de que seus objetivos serão realmente atingidos, acompanhe sempre o desempenho de suas aplicações, procure manter-se permanentemente informado e, de tempos em tempos, reavalie suas decisões de investimento, para ver se continuam coerentes com os planos. É importante lembrar também que, em metas de longo prazo, há mais tempo para a recuperação de eventuais insucessos.

Vencendo as dificuldades - O consultor financeiro da Libratta Finanças Pessoais, Rogério Olegário do Carmo, alerta para as dificuldades que podem existir nos investimentos de longo prazo. “Segundo média mundial, os planejamentos financeiros pessoais tendem a durar dois anos e meio. Como as pessoas preferem se premiar no curto prazo, elas retiram o dinheiro investido para comprar algo que dê prazer imediato. Para vencer isso, o ideal é fazer um projeto de longo prazo em paralelo a projetos de curto prazo”, explica.

As metas de médio e longo prazos devem ser uma realidade somente para quem já está com as finanças em dia. As pessoas que ainda estão endividadas precisam focar na quitação das dívidas. “Não existe aplicação que pague juros superiores aos juros das dívidas. Então é preciso canalizar energia para eliminar as contas em aberto. Depois, com o orçamento equilibrado, é hora de iniciar os investimentos”, diz o consultor.

A dica para quem não consegue se disciplinar é cumprir promessas básicas: ir à academia diariamente, seguir fielmente a dieta, concluir os trabalhos prioritários... Pronto! Quem atinge pequenas metas, atingirá as grandes também. “Nós não damos atenção ao dinheiro porque não mostramos a ninguém. Com os dentes, por exemplo, a gente gasta muito tempo por semana, mas para cuidar das finanças não. Temos que cuidar do dinheiro como se tivéssemos que mostrar a conta corrente para alguém a qualquer momento”, compara.

  O sonho da casa própria - Já pensou você ir para a reserva e precisar pagar aluguel? Esta é a realidade de grande parte dos militares que não estabelecem metas de longo prazo. Muitos optam por pagar aluguel e investir o valor de um imóvel em outras áreas que consideram mais interessantes. Mas caso você tenha o sonho de aquisição da casa própria, não deixe essa decisão para a última hora.

O planejamento pessoal, familiar e financeiro é essencial para que o sonho não seja interrompido no meio do caminho. “É preciso planejar a compra da tão sonhada casa própria. Não se pode comprometer mais do que 30% dos rendimentos familiares mensais”, afirma o Gerente de Crédito Imobiliário da Fundação Habitacional do Exército (FHE), Edinaldo Martins.

O 3º Sargento Anderson Cabral de Souza e sua esposa, também Terceiro Sargento da Aeronáutica, fizeram seu planejamento e há dois anos reservam 20% do dinheiro poupado para a aquisição da casa própria. “O nosso objetivo é dar uma boa entrada em um financiamento imobiliário daqui a uns 10 anos. Fazemos o controle dos depósitos e do saldo atual em uma planilha”, explica Anderson.

Para realizar um bom financiamento, Martins aponta a importância de efetuar pesquisas e comparativos e organizar as finanças. “Pelo fato de o financiamento imobiliário ser, normalmente, um compromisso de longo prazo, o ideal é simular o quanto a renda permite financiar e verificar o valor mínimo que deve ser poupado para pagar a parte não financiável”, detalha o Gerente da FHE.

Agora é um bom momento para adquirir a casa própria? - A corretora de imóveis Cristiane Poleto acredita ser uma boa oportunidade para conquistar o sonho da casa própria. “Com a economia em crise, os preços dos imóveis caíram até 30%. Quem tem dinheiro na mão tem mais facilidade para conseguir fazer bons negócios”, avalia.

Outro aspecto positivo é o aumento da quantidade de imóveis disponíveis para venda. “Com o aumento da oferta, o comprador tem mais opções para realizar uma boa compra”, afirma Cristiane.

Veja essa e outras reportagens no NOTAER deste mês