AEDES AEGYPTI

Forças Armadas realizam fase de conscientização

Somente no DF e em GO, mais de 1200 militares da FAB participaram da ação
Publicado: 13/02/2016 14:34
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Diagnosticado com dengue por duas vezes, o S  argento Marcelo Rodrigues Machado, morador na capital federal, sabe bem os malefícios trazidos pela doença. Neste sábado (13/02), ele foi um dos cerca de 220 mil militares das Forças Armadas que participaram da distribuição de panfletos em todo o País com intuito de conscientizar a população sobre como combater a dengue, o zika e a chikungunya. “Depois dessa experiência, o senso crítico é maior”, declarou.

Também conhecida como “dia nacional da mobilização contra o mosquito”, a ação
contou com a participação de militares da Força Aérea Brasileira (FAB) em todas as regiões do País. De acordo com o comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, o combate ao mosquito Aedes tem que contar com   a colaboração de todos os cidadãos. “Todos nós estamos cumprindo a nossa parte. E o que nós esperamos é que a partir deste sábado todos os brasileiros façam também o seu papel”, afirmou.

No total, 1250 militares da FAB participaram da campanha somente em Brasília (DF) e Goiás. Cerca de 7500 residências e estabelecimentos comerciais foram visitados. Nos locais, os militares entraram em pares   com folhetos para explicar como os focos do mosquito podem ser encontrados e qual a melhor forma de combatê-los.

A dona de casa Sandra Peixoto mora no Sítio do Gama, distante cerca de 40 km da Esplanada do Ministérios, em Brasília. Assim como outros moradores do local, ela aprovou a iniciativa. “Acho muito importante esse tipo de mobilização, principalmente para a conscientização das pessoas. O combate ao mosquito deve ser diário”, ressalta.

Para o soldado da FAB Patrick Nunes o dia nacional de mobilização contra o Aedes foi uma ação onde ele pôde exercer o seu papel de militar e cidadão. “Esse tipo de missão é importante, pois reforça o nosso dever, que é o de proteger a população, e ao mesmo tempo nos dá a oportunidade de exercer a cidadania, trabalhando em prol da sociedade”, diz.

Outro local visitado pelos militares foi o Jardim Botânico, distante cerca de 17 km da
  região central da capital federal. No local, os focos foram os estabelecimentos comerciais. Os militares da FAB visitaram cerca de 50 lojas, mercados e comércios. José Nobre ressaltou a importância do que ele chamou de operação contra o mosquito. “Eu sou uma vítima do Aedes. Por isso vejo como fundamental o que está acontecendo aqui hoje”, ressaltou.

Já o Sargento Alberto, que participou diretamente da divulgação ao visitar as residências e lojas no Jardim Botânico, classificou como positivos o envolvimento e receptividade dos moradores. “A sociedade está recebendo bem e aceitando bem a divulgação”, destacou.

  Fases de combate – A ação deste sábado foi a segunda fase de mobilização com a participação de militares no combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. O objetivo foi conscientizar a população sobre os riscos das doenças, com entrega de panfletos e orientações.
 
De acordo com o responsável pela atuação da FAB no combate à dengue, Coronel Claus Kilian Hardt, após o mapeamento de possíveis domicílios com focos do mosquito, os militares voltam para as ruas a partir da próxima semana.

“Entre os dias 15 a 18 de fevereiro, cerca de 450 militares da FAB, acompanhados de agentes de saúde do Governo do Distrito Federal, vão trabalhar na erradicação dos focos, com larvicida e inseticida. A última etapa, prevista para o fim do mês, será de orientação nas escolas”, finalizou.