MÚSICA

Obra erudita de sargento da FAB será executada em Gramado (RS)

Composição foi vencedora do 1º Concurso Internacional do Gramado in Concert
Publicado: 11/02/2016 08:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Com um poema sinfônico onde o protagonista é o deus supremo na mitologia Tupi, Nhanderuvuçu (que dá nome à obra), o sargento músico trombonista da Força Aérea Brasileira (FAB) Dimas Artur da Silva faturou o Primeiro Concurso Internacional de Música Erudita (música clássica) do Gramado in Concert. Com a vitória, a obra agora será executada no próximo dia 20 de fevereiro pela orquestra sinfônica do evento, realizado pela secretaria municipal de turismo da cidade de Gramado (RS).

“A expectativa é imensa, pois não é todo dia que se tem uma obra tocada por uma orquestra profissional. É uma sensação inexplicável ver e ouvir o que foi concebido através da arte virar som por meio do profissionalismo dos músicos. Além disso, poder levar o nome da FAB em um concurso internacional é de grande importância, pois mostra ao mundo o valor de nossos profissionais”, ressalta o sargento Dimas.

O concurso internacional visava à composição de uma obra erudita abrangendo todos os instrumentos de cordas, sopros e percussão. Além disso, a temática deveria contemplar traços da cultura brasileira. Para ter o privilégio de ver sua obra sendo executada por uma orquestra sinfônica, o Sargento Dimas venceu vários concorrentes. As 17 obras inscritas foram julgadas pelos professores doutores Linus Lerner, Alfredo Jacinto de Barros, Fernando Lewis de Mattos, Arthur Barbosa Neto, Richard White e Michael Kiefer, estes últimos norte-americanos. O resultado foi divulgado no dia 25 de janeiro deste ano.

“A obra Nhanderuvuçu, composta em apenas 15 dias, visa enaltecer a cultura dos nossos antepassados e do nosso país. Ela se passa neste ambiente de temor, alegria, adoração, aflição por parte dos indígenas a esse deus da mitologia Tupi”, sintetiza.

O interesse do Sargento Dimas pela música despertou aos 12 anos de idade, época em que ouvia um programa de música erudita veiculado à noite na radio universitária de Recife,sua cidade natal. “Eu ficava balançando os braços como se estivesse regendo uma orquestra”, relembra. “Para quem mexe com arte, a música é tudo. O lazer, o trabalho, o passatempo. Não tem um só minuto em que ela não faça parte da minha vida”, complementa.

Ingresso na FAB - A trajetória profissional do Sargento Dimas iniciou em março de 1999 e sempre em conexão com as notas musicais. Ingressou na FAB como soldado corneteiro. Fez o curso no Segundo Comando Aéreo Regional ( II COMAR) e depois de formado foi designado para servir na banda de música da Base Aérea de Recife (BARF). Promovido a cabo músico em 2003, chegou a sargento em 2007.

“A música na Força Aérea tem um simbolismo muito forte, desde as honras militares às autoridades militares e civis do Brasil e do exterior, passando pela aproximação da sociedade civil com a FAB bem como o culto aos nossos antepassados”, ressalta . “A todos os jovens amantes da arte da música e que desejam fazer parte das fileiras da Força Aérea quero dizer que é muito gratificante, pois temos o poder de mexer com o patriotismo, com o sentimento, e mesmo mudar a vida das pessoas que nos ouvem. É uma carreira segura e com uma ascensão considerável”, completa o militar.

Atualmente servindo na Base Aérea de Santa Maria (BASM), no Rio Grande do Sul, o Sargento Dimas deve se formar neste ano no curso de bacharelado em composição musical pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A vitória no seleto concurso, ele faz questão de dividir com amigos e incentivadores que teve ao longo dos anos na FAB.

“Esse prêmio internacional não seria possível sem os grandes amigos que tenho na Força Aérea. Agradeço a banda de música da Base Aérea do Recife, onde tive minhas primeiras instruções militares, a banda de música da Base Aérea de Santa Maria, onde estou servindo atualmente, e ao meu comandante pelo grande apoio e por estar preocupado com o crescimento profissional de seus comandados”, diz.