AEDES AEGYPTI

Militares visitam cerca de 3 mil imóveis no combate ao mosquito em Recife (PE)

Em cinco dias de ação, foram tratados 432 criadouros
Publicado: 03/02/2016 17:48
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea/II COMAR/ MD

  BINFAE-RFO efetivo do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Recife (BINFAE-RF), da Força Aérea Brasileira (FAB), está atuando a todo vapor no combate ao mosquito Aedes Aegypti no estado de Pernambuco. Entre os dias 27 de janeiro e 02 de fevereiro, cerca de 130 militares visitaram 2.914 imóveis nos bairros da Imbiribeira, Jordão, Ibura e demais localidades da Grande Recife.

Nesses cinco diais de atuação, os militares encontraram o transmissor da dengue, chikungunya e zika em 201 imóveis e fizeram a verificação em 1.568 “depósitos“ (termo técnico para criadouros). Receberam tratamento outros 265 imóveis e 432 “depósitos”.

“O trabalho dos agentes em conjunto com a FAB tem sido de grande importância por causa da credibilidade dos militares junto à população. Temos conseguido maior aceitação para entrarmos nas residências e ao mesmo tempo aumentado o número de imóveis visitados”, explica Jaqueline Nipo, do Distrito Sanitário 6, órgão subordinado à secretaria municipal de Recife. 

O trabalho dos militares, no entanto, ainda esbarra na falta de conscientização com relação às consequências decorrentes das doenças provocadas pelo Aedes. Na força-tarefa, os militares da FAB encontraram não só focos, mas também resistência. No total, 39 imóveis se recusaram a deixar suas instalações serem verificadas. Um outro problema, não menos preocupante, foram os 708 imóveis fechados.

“Isso atrapalha o nosso serviço, pois quando encontramos um local fechado, pode estar ali um possível foco”, explica o Sargento Valério Emiliano de Albuquerque, do BINFAE-RF.

As ações são coordenadas pelos Distritos Sanitários e pelo Exército Brasileiro (EB). Para atuar no combate ao mosquito transmissor, o BINFAE-RF capacitou 160 militares, em dezembro do ano passado, que logo após já começaram atuar na Grande Recife.

“Nós temos a meta de que cada militar visite 25 casas por dia”, explica o Major de Infantaria Bruno Martins dos Santos, chefe de operações do BINFAE-RF. “Os militares estão muito empolgados, pois estão se sentindo muito úteis para a sociedade e prestigiados pelo trabalho desenvolvido no combate ao mosquito”, complementa o Major Bruno. 

 

Dia "D" – No sábado (13/02),  os militares de Recife também serão engajados no dia "D" de mobilização das Forças Armadas no combate ao mosquito. Nesta que é considerada a segunda etapa da ampliação da atuação das Forças Armadas em todo o Brasil envolve 220 mil homens e mulheres (160 mil do Exército, 30 mil da Marinha e 30 mil da Força Aérea). Esse contingente atuará em 356 municípios, incluindo todas as capitais e as cidades consideradas endêmicas pelo Ministério da Saúde. 

Os militares farão a distribuição de material impresso com orientações para que a população se informe e se engaje no combate ao Aedes. No panfleto, que deverá ser entregue em aproximadamente três milhões de residências, também vai constar um número de telefone local para envio de denúncias onde haja proliferação do mosquito.

Entre os dias 15 e 18 de fevereiro ocorre a terceira etapa da mobilização nacional, quando 50 mil militares estarão diretamente envolvidos no combate ao mosquito. Essa fase do trabalho será realizada em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde e as autoridades locais e terá visitas domiciliares dos efetivos das Forças Armadas, acompanhados de agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A capacitação dos militares que vão atuar no combate ao mosquito está prevista para a próxima semana.