AEDES AEGYPTI

Defesa anuncia ampliação no trabalho das Forças Armadas para combate ao mosquito

Ministro da Defesa anunciou novas medidas para combate ao mosquito. 60% do efetivo das Forças Armadas será engajado
Publicado: 27/01/2016 18:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

60% do efetivo das Forças Armadas será engajado  Sgt Batista - CecomsaerA participação dos militares das Forças Armadas no combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti será ampliada. As novas medidas foram anunciadas em entrevista do Ministro da Defesa (MD), Aldo Rebelo, nesta quarta-feira (27/01).

Segundo o Ministro, a atuação será dividida em quatro etapas: primeiro, haverá o envolvimento de todos os efetivos das organizações militares em mutirões para combate aos focos nas próprias sedes e vilas.

Depois, no dia 13 de fevereiro, 220 mil militares – 60% do efetivo das Forças Armadas – serão mobilizados para fazer um trabalho de orientação e conscientização de moradores nas suas residências. “A expectativa é visitar três milhões de domicílios”, ressaltou o Ministro. Os militares visitarão as residências, distribuirão panfletos explicativos e passarão orientações sobre as formas de combate ao mosquito. “É preciso o engajamento de todos. As pessoas devem se conscientizar de que é uma responsabilidade coletiva. Não adianta você limpar a sua casa e o seu vizinho não”, disse Rebelo.Ministro anuncia ampliação no combate ao Aedes Aegypti  Sgt Batista - Cecomsaer

A distribuição dos efetivos será feita de acordo com o contingente militar sediado em cada localidade. “Atenderemos todas as cidades que têm organizações militares e os municípios próximos. Além disso, há 59 cidades que não têm contingente, mas que receberão militares porque o Ministério da Saúde as considera endêmicas”, explicou o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), Almirante de Esquadra Ademir Sobrinho.

Objetivo é visitar 3 milhões de domicílios  Sgt Batista - CecomsaerA terceira etapa da participação das Forças Armadas será a disponibilização de 50 mil militares que estarão sob coordenação do Ministério da Saúde para distribuição de material como larvicida e inseticida para a população. “Já existem quatro mil pessoas treinadas para essas ações e esses treinarão os demais até atingir o total de 50 mil”, disse o Almirante.

Após as três primeiras etapas, um efetivo menor será colocado à disposição do Ministério da Educação para levar informações às escolas, aumentando assim a propagação das orientações e a conscientização da responsabilidade de cada um no combate ao Aedes Aegypti.


Confira o vídeo com trechos da entrevista concedida pelo Ministro: