AEDES AEGYPTI

Em todo o Brasil, unidades da FAB estão engajadas na luta contra o mosquito

Conheça as ações realizadas pelos militares da FAB contra o mosquito em todo o País
Publicado: 25/01/2016 14:33
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

  COMAR II  BINFAE-RFDe Norte a Sul do País, a Força Aérea Brasileira mobilizou suas tropas para ajudar a combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Para terça-feira (26/01) está programado um mutirão de limpeza em Canoas (RS), enquanto mais 300 militares participam de atividades em Parnamirim (RN) e Recife (PE), em parceria com as prefeituras locais. Na capital pernambucana, os militares estão atuando desde dezembro de 2015.

O contingente vai aumentar. Nesta segunda, começaram em Manaus (AM) e Brasília (DF) cursos para capacitar militares da FAB nas técnicas de combate ao mosquito. O principal objetivo é formar multiplicadores, ou seja, fornecer ferramentas para que os militares, além de combaterem os focos do mosquito nas unidades, também possam apresentar orientações aos vizinhos e familiares.

Em Guaratinguetá (SP), onde a Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) está instalada em área verde de grandes proporções, o foco é a prevenção. “A gente tem essa preocupação de prevenir. Apesar do grande fluxo de pessoas na escola, em 2015 não tivemos nenhum caso de doença relacionada ao mosquito Aedes Aegypti”, explica a Tenente-Coronel Ana Márcia Leal, da EEAR.

O período de calor e chuva que abrange a maioria das regiões do Brasil é propício para o desenvolvimento do mosquito que, além da dengue, transmite outras doenças como o zika vírus e a febre chikungunya. Veja as ações que são desenvolvidas em todo o País:

Canoas (RS) - Ne
sta terça-feira (26/01), os militares da Guarnição de Aeronáutica de Porto Alegre (GUARNAE-PA), no Rio Grande do Sul, realizam um mutirão para eliminar focos do mosquito Aedes Aegypti na área do Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR).

Todo o efetivo do V COMAR, além de militares da Prefeitura de Aeronáutica de Canoas (PACO) e do Quinto Serviço de Investigação e Prevenção de Acidente
s Aeronáuticos (SERIPA V) estarão envolvidos. A ação dos grupos, que serão divididos em áreas, será acompanhada por 15 agentes da Vigilância de Saúde da Prefeitura Municipal de Canoas.

Na quinta-feira (21/01), os militares assistiram a uma palestra com o médico veterinário Jean Pierre Maillard, da Vigilância de Saúde municipal, na qual conheceram as maneiras mais eficazes de combate aos focos de mosquito.

Brasília (DF) - A Força Aérea Brasileira também está se preparando para atuar em Brasília (DF). Nesta terça-feira (26/01), 40 militares do Batalhão de In  COMAR IIfantaria de Aeronáutica Especial de Brasília (BINFAE-BR) serão treinados para se juntar à equipe que já está atuando no combate ao Aedes Aegypti. Já na quarta-feira (27/01), esses militares receberão instruções práticas. Segundo o Chefe da Seção de Operações do BINFAE-BR, Capitão Bruno Vilaça, a expectativa é de que os militares da FAB estejam nas ruas da capital federal já na próxima semana.

Manaus (AM) -
Cerca de 30 militares do Sétimo Comando Aéreo Regional (VII COMAR), sediado em Manaus (AM), vão iniciar, nesta segunda-feira (25/01), um curso para combater o mosquito Aedes Aegypti nas organizações militares da FAB l
ocalizadas na capital amazonense. As instruções, realizadas no Centro de Capacitação de Agentes de Combate em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), têm a meta de orientar os participantes a como identificar os focos do mosquito e como combatê-los.
 
Segundo a coordenação do curso, o principal objetivo é formar multiplicadores, ou seja, fornecer ferramentas para que os militares, além de combaterem os focos do mosquito nas unidades, também possam apresentar or
ientações aos vizinhos e levar o conhecimento adquirido para a população de Manaus.

  De acordo com a secretaria municipal, a capital amazonense registrou 155 casos suspeitos de zika vírus. Do total, 144 ainda permanecem sob investigação, sendo 25 gestantes. Nove foram descartados e apenas dois casos foram confirmados. Não há caso de bebês com microcefalia causada pelo zika. Em 2016, Manaus teve 56 casos notificados de dengue e 11 confirmados.

São José dos Campos  (SP) - No Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), são feitas vistorias periódicas no local por militares da própria unidade para prevenir o aparecimento de focos do mosquito.

Anápolis (GO) -
Em Goiás, dez soldados da Base Aérea de Anápolis (BAAN) fazem parte de uma força-tarefa criada pela Secretaria de Saúde (SES-GO). Juntamente com agentes de combate às endemias, agentes comunitários de saúde, grupo de defesa ambiental e militares do Corpo de Bombeiros, eles visitam diversos imóveis para ajudar a combater o mosquito Aedes Aegypti e prevenir a transmissão das doenças.