AEDES AEGYPTI

Militares da FAB atuarão no combate ao mosquito em Parnamirim (RN)

Primeira fase da campanha deve durar 60 dias e inicia na próxima segunda-feira (11/01)
Publicado: 05/01/2016 15:49
Imprimir
Fonte: BANT

Parnamirim lança campanha contra o Aedes Aegypti  S2 CanárioA Força Aérea Brasileira está apoiando o município de Parnamirim (RN) no combate ao mosquito Aedes Aegypti. Foram disponibilizando 150 soldados e 6 sargentos do Batalhão de Infantaria que passaram por treinamento e começam a atuar junto aos agentes de endemias da prefeitura na próxima segunda-feira (11/01). A reunião de lançamento da campanha aconteceu na manhã desta terça-feira (05/01) e teve como objetivo apresentar a situação endêmica do Aedes Aegypti na região, além de mobilizar entidades e formadores de opinião na luta contra o mosquito.

Segundo o Secretário Municipal de Saúde de Parnamirim, Henrique Eduardo Costa, na primeira fase da campanha, que deve durar cerca de 60 dias, o trabalho de campo será reforçado em quatro bairros de maior incidência de focos do Aedes Aegypti: Nova Parnamirim, Passagem de Areia, Nova Esperança e Liberdade. Após esse período, os dados coletados subsidiarão o planejamento da segunda fase de atuação. “O grande problema ainda somos nós, 80% dos focos estão nas nossas casas e é por isso que as visitas domiciliares são tão importantes”, explicou Henrique Costa.

Coronel Santoro representou a FAB na reunião  S2 CanárioDe acordo com a Secretaria de Saúde, Parnamirim é o segundo município com maior número de casos de doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti no Rio Grande do Norte. Em 2015, foram notificados 1.672 casos de dengue, sendo 235 confirmados. Até maio do ano passado, o município já registrava 915 casos, número total contabilizado em 2014, com duas mortes.

Apenas 13 casos de zika vírus foram confirmados na cidade até agora. No entanto, a enfermeira e responsável pela vigilância Epidemiológica de Parnamirim, Nara Ligía Oliveira de Paula, alertou para a dificuldade de se diagnosticar a doença, que em 80% dos casos não apresenta sintomas. Já em relação à febre chikungunya, há 199 casos suspeitos no município, mas nenhum confirmado.

Durante a reunião, o Comandante da Base Aérea de Natal, Coronel Aviador Antonio Santoro, reforçou o papel das Forças Armadas apoiando o Estado, para garantir o bem estar social. “Temos a obrigação de unir forças para que esse inimigo comum seja extinto. Estamos travando uma guerra contra o Aedes Aegypti e, como bons soldados, nós da Força Aérea estamos preparados para a guerra. Esse é um compromisso que a FAB tem”, afirmou o Coronel Santoro.