DEFESA

Conheça alguns serviços que a FAB executa em prol da segurança nacional

Saiba quais são as atividades das equipes que estarão de prontidão durante o recesso de fim de ano
Publicado: 29/12/2015 16:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

  Enquanto muitas pessoas estarão viajando para rever amigos e parentes no recesso de fim de ano, a Força Aérea Brasileira (FAB) estará presente na vida dos brasileiros em todas as regiões do País garantindo a segurança do espaço aéreo e de milhões de brasileiros. Estarão a postos militares que desempenham atividades relacionadas ao controle de tráfego aéreo, defesa aérea, busca e salvamento, segurança de voo, entre outras. E para manter essa estrutura, muitos outros militares estarão de serviço nos bastidores das organizações, seja preparando as refeições para quem está de plantão ou na segurança das unidades.

Conheça algumas das atividades das equipes que estarão de prontidão durante o recesso:

  Defesa Aérea - O Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA) tem como missão empregar o poder aeroespacial brasileiro a fim de assegurar a soberania do espaço aéreo nacional. Além disso, o COMDABRA gerencia 24 horas por dia, sete dias por semana, atividades operacionais relevantes para a sociedade brasileira.

A unidade gerencia o acionamento das aeronaves em missões de busca e salvamento (SAR - Search and Rescue) em todo o espaço sob a responsabilidade brasileira, que é de aproximadamente 22 milhões de km2. Esta dimensão abrange o território continental, a zona econômica exclusiva e áreas oceânicas sob a responsabilidade do Brasil por meio de acordos internacionais. Caso haja o desaparecimento de aeronave ou embarcação dentro desta área, o COMDABRA aciona os meios adequados para localizar e salvar as pessoas em perigo na terra ou no mar.

Como órgão central do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA), este comando dispõe de uma equipe de militares, oficiais e graduados, especializados que trabalham em prol do exercício da soberania no espaço aéreo brasileiro, contribuindo, silenciosamente, para a segurança da navegação aérea, bem como coibindo o uso do meio aéreo para atividades ilícitas ou nocivas para o Brasil. Este serviço, ininterrupto, exige a vigilância constante de profissionais altamente especializados, que ao verificar a incursão de um tráfego aéreo desconhecido aciona, por meio dos Centros de Operações Militares (COpM) localizados nos Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (CINDACTA), as aeronaves de caça da FAB, que realizam a interceptação e resguardam os interesses do povo brasileiro.

 “Asseguramos que a Força Aérea Brasileira cumpra com sucesso estas missões em prol da segurança e soberania do espaço aéreo do Brasil, fazendo valer o lema da FAB: ´Asas que protegem o País´, afirma o Major Rodrigo Campos Teles, um dos militares que trabalha nesta área.
 
Controle de Tráfego Aéreo - O Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (CINDACTA I), localizado em Brasíl
ia, é uma das unidades da Força Aérea Brasileira que executam as atividades de controle do tráfego aéreo civil e militar, vigilância do espaço aéreo e comando das ações de defesa aérea no Brasil. A organização é responsável pelo gerenciamento de 45% do tráfego aéreo do País. Ela realiza também serviços de defesa aérea, informações aeronáuticas, meteorologia aeronáutica, telecomunicações aeronáuticas e busca e salvamento.

Não apenas nos recessos e feriados, mas durante o ano todo, as escalas operacionais são compostas por profissionais habilitados e preparados para executar as atividades voltadas para o controle de tráfego aéreo. São eles que resguardam os céus do Brasil em prol da segurança de todos os que viajam. “O controlador está preparado para atuar em qualquer época do ano. A segurança de quem está voando é de extrema importância e a vida dessas pessoas está nas mãos desses profissionais que são altamente qualificados e motivados para atuarem na proteção do espaço aéreo”, destaca o Major Derick Moreira Baum.

  Busca e salvamento - Uma equipe composta por 16 militares de serviço (entre pilotos, mecânicos de voo, homens de resgate (SAR), paraquedistas, observadores SAR, rádio operador, enfermeiro, e operador de equipamentos especiais), está diariamente em prontidão no Esquadrão Pelicano (2º/10º GAV).  Esta unidade da FAB, localizado na Base Aérea de Campo Grande (MS), é especializada em missões de busca e salvamento. Dez destes profissionais estão em alerta na aeronave SC-105 Amazonas e seis de alerta nos helicópteros H-1H.

Diariamente a equipe checa todos os equipamentos pertinentes as suas funções, observando as condições da aeronave para o cumprimento das missões de busca ou salvamento. Existem dois tipos de alerta a serem cumpridos, todos os dias do ano, ininterruptamente. O alerta "A" e o "B".

No alerta "A" a equipe fica de prontidão no esquadrão e é acionada por um toque de sirene no hangar. Já no “B" a equipe fica em condições de ser acionada, a qualquer momento via telefone, e se dirigirem imediatamente para o esquadrão para a decolagem imediata, a qualquer hora do dia ou da noite.

O Capitão Miguel Lis Bruno está na escala de sobreaviso durante a semana do ano novo. “Nestes acionamentos, muitas vezes guarnecemos as aeronaves ainda sem saber nosso destino e muito menos a missão específica, vindo a obter informações  mais precisas no decorrer da missão, pois nas atividades de Busca e Salvamento a rapidez é essencial e, qualquer minuto a mais na decolagem, pode significar uma vida perdida. Nós estamos a serviço da sociedade no cumprimento de missões de busca e salvamento a aeronaves ou embarcações desaparecidas ou que necessitem de algum socorro específico. Além destas missões principais o esquadrão Pelicano também cumpre ações de evacuação aeromédica, muitas vezes realizadas no pantanal, em apoio a vítimas isoladas, e missões humanitárias, de apoio a calamidades públicas, dentre outras”, relata o capitão.

Neste escopo de atuação, a sociedade  pode contar com a Força Aérea Brasileira, que dispõe de todo um sistema de coordenação e de um esquadrão especializado nessas ações de busca e salvamento, bem como outros esquadrões especializados em resgate, em outras Bases Aéreas no território nacional. 

  Acidentes Aeronáuticos - O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) também mantém uma equipe de militares de sobreaviso 24 horas por dia. A missão do Centro é trabalhar na investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos.

Não é possível prever o momento do próximo acidente, por isso é importante que a equipe esteja de sobreaviso 24 horas, 365 dias por ano.

O Capitão Thiago Alexandre Lirio, investigador do CENIPA, explica que a pronta-resposta é primordial em casos de acidentes aeronáuticos. “A eficiência e eficácia na condução desses processos de investigação significa a prevenção de futuros acidentes, resultando na preservação do bem mais precioso que existe: a vida humana”, afirma.

Toda vez que o sobreaviso é acionado, os investigadores do Sistema de investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER) abrem mão do convívio familiar e de suas atividades rotineiras, dirigindo-se para o local da ocorrência. O tempo é moeda valiosa para esses profissionais, uma vez que cada minuto decorrido influencia diretamente na preservação do cenário, afetando a qualidade da atividade de coleta de dados e ação inicial no local do acidente. Na era da informação, a velocidade das comunicações é imprescindível para a boa condução da investigação de acidentes aéreos.

  Equipe de serviço - A Tenente Carla Monteiro Damas estará de plantão na função de ‘oficial de dia’ do Prédio do Comando da Aeronáutica em Brasília. O trabalho que é realizado 24 horas por dia durante sete dias por semana, garante a segurança tanto efetivo quanto das demais pessoas que circulam pelo edifício.

Junto com a equipe de serviço, ela e os militares de sua equipe realizam rondas, identificam as pessoas que acessam o prédio, dentre outras atividades. Ela ressalta que o mais importante é garantir a segurança de todos da melhor forma. “Trabalhamos sempre em equipe. Cada um no seu posto e sempre dando apoio ao outro quando necessário, pois a segurança da equipe de serviço também é importante”. Tanto no início quanto no término do serviço é realizado o tradicional briefing onde é relatado todos os tópicos do trabalho. Há, também, um revezamento para o horário de descanso e da alimentação.

  Equipe de alimentação - O Sargento Thiago de Castro Magalhães será um dos militares que produzirá, no dia 31 de dezembro, as refeições para a equipe de serviço do Prédio do Comando da Aeronáutica. Às cinco e meia da manhã ele já estará na cozinha preparando o café da manhã, almoço e jantar dos militares. “Trabalhar preparando os alimentos para a equipe de serviço e saber que eles estarão alimentados para cumprir a jornada de 24 horas é muito gratificante”, conta o sargento.