NOVEMBRO AZUL

Agora é a vez deles

Câncer de próstata diagnosticado precocemente tem 90% de chance de cura. Inspeção de saúde é fundamental
Publicado: 07/11/2015 07:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

 

 

  Aos 62 anos, ele continua normalmente com a sua rotina. Trabalha, viaja com a família e não deixa de fazer sua caminhada ao entardecer. O encarregado da Rádio Força Aérea FM, Suboficial da reserva Valter Carlos da Silva, foi diagnosticado com câncer de próstata aos 58 anos.

Ele sempre esteve atento aos exames de saúde realizados anualmente e ficou surpreso com a notícia. “Fiquei preocupado quando o urologista me disse o diagnóstico, mas não podia ficar desesperado. Queria saber qual o próximo passo para que pudesse agir o quanto antes”, conta.

O câncer de próstata diagnosticado precocemente, como foi o caso de Valter, tem chance de cura de 90%.

O Capitão Médico Urologista Álvaro Antonio Canuto, do Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB), explica que “quando o diagnóstico é precoce, o tratamento é menos agressivo e com menos efeitos adversos e sequelas”.

O mês de novembro é internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem. A doença atinge homens a partir dos 50 anos, mas cerca de 75% dos casos são diagnosticados a partir dos 65 anos. No Brasil, esse câncer é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma).

Na Força Aérea Brasileira (FAB), todo o efetivo realiza a inspeção de saúde periodicamente. E os homens fazem o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico, na sigla em inglês), obrigatório com idade igual ou acima de 45 anos, de acordo com as Instruções Técnicas das Inspeções de Saúde na Aeronáutica (ICA 160-6).

Entenda - O câncer de próstata é um tumor na glândula presente no sistema genital masculino. A ação da testosterona pode provocar modificação das células, sua desorganização e o surgimento do câncer.

Prevenção - Uma dieta saudável ajuda a diminuir o risco do câncer. Praticar exercícios físicos, evitar o álcool e o tabagismo são fatores importantes, além da realização do exame de sangue PSA e do toque retal.

Tratamento - Caso a doença seja comprovada, o médico pode indicar radioterapia, cirurgia ou até tratamento hormonal. A escolha do tratamento mais adequado é individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.

Fatores de Risco
Idade: o risco aumenta com o avançar da idade.
Hereditariedade: em parentes de primeiro grau que já tiveram ou têm a doença a probabilidade de desenvolvê-la é maior.
Etnia: em homens negros o risco é maior.
Outros: Vida sedentária, obesidade e alimentação desregrada.

Leia esta e outras matérias na edição de novembro do NOTAER