SEMINÁRIO

Ministério da Defesa discute alimentação das Forças Armadas

Evento ocorre no Rio de Janeiro nos dias 28 e 29 de outubro
Publicado: 27/10/2015 07:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea/MD

 

 

O Ministério da Defesa (MD) promove, quarta (28/10) e quinta-feira (29/10), o VI Seminário de Alimentação das Forças Armadas Defesa e Cultura Alimentar. O evento, aberto a civis e militares, ocorre na Escola Superior de Guerra (ESG), no Rio de Janeiro (RJ).

A iniciativa, da Comissão de Estudos de Alimentação das Forças Armadas (CEAFA), é coordenada pela Chefia de Logística (Chelog), do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA). Entre os objetivos do seminário está a promoção do intercâmbio entre o Ministério da Defesa, instituições civis e organizações militares que atuam nas áreas de alimentação e suprimento de gêneros alimentícios.

Também pretende-se obter subsídios para a melhoria dos processos inerentes à gestão da segurança alimentar baseada em mudança de comportamento e divulgação das inovações no segmento. O evento visa ainda difundir as diretrizes do Projeto Estratégico de Defesa Alimentar das Forças Armadas.

Há dez anos, o MD firmou o compromisso com a garantia da obtenção do alimento inócuo (seguro) por intermédio do Regulamento de Segurança dos Alimentos das Forças Armadas, marco legal institucional que introduziu as boas práticas de fabricação dos alimentos na gestão dos processos do sistema de alimentação das Forças. 

“O desafio que hoje se apresenta é garantir o alimento seguro durante as operações conjuntas e missões de paz, quando os riscos de ocorrer uma contaminação alimentar estão potencializados”, afirma o General de Divisão José Orlando Ribeiro Cardoso, vice-chefe de logística do EMCFA. “As nossas organizações militares, por meio de seus comandos, estão buscando aperfeiçoar o seu modus operandis, através de programas de gestão em segurança alimentar, investindo na capacitação de recursos humanos nas boas práticas higiênico-sanitárias, adequação de suas instalações físicas e monitoramento microbiológico em todo o processo”, completa o oficial-general.

Público-alvo -  O seminário é aberto para militares e civis que, direta ou indiretamente, atuam nas diversas atividades relacionadas à alimentação e no suprimento de gêneros alimentícios nas três Forças. Incluem-se nesta lista gestores, auxiliares e responsáveis por serviços de alimentação, médicos veterinários, nutricionistas, farmacêuticos, intendentes, profissionais que atuam na ciência, tecnologia e inovação, bem como, agentes e coordenadores de programas ou projetos relacionados à segurança dos alimentos.

“A alimentação tem um impacto direto na moral da tropa e no êxito da missão. Deve ser disponível em quantidade, qualidade sanitária e nutricional, além de estar identificada com os hábitos e a cultura alimentar de cada região”, conclui o General Orlando.