OPERACIONAL

Militares da FAB encerram exercício de emprego armado da aeronave P-3AM

Em quatro dias foram lançadas dez bombas no estande de tiros de Marambaia, no Rio de Janeiro
Publicado: 23/09/2015 14:30
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Potencialidades do P-3AM sãoexploradas  Cb V. SantosO Esquadrão Orungam encerrou nesta quarta-feira (23/09) o Exercício Orunganitas II que marcou o início do emprego armado da aeronave P-3AM Orion. Durante quatro dias foram lançadas dez bombas em alvo localizado no estande de tiros de Marambaia, a 18 quilômetros da Base Aérea de Santa Cruz (BASC), no Rio de Janeiro.

No último disparo, duas bombas foram lançadas em sequência (ripple). O procedimento aumenta as chances de acertividade. Segundo o chefe de operações do exercício, Major Cláudio Santana, o ripple é usado, principalmente, para atingir alvos de grande porte, como submarinos.

O P-3AM possui 18 pontos de fixação de armamentos, sendo dez nas asas e oito no alojamento de bombas (bomb bay). Nas asas, os compartimentos podem carregar bombas e mísseis. Na bomb bay, bombas e torpedos. A Força Aérea Brasileria aguarda a chegada do míssil americano antinavio AGM-84L Harpoon, que consolidará efetivamente o emprego armado da aeronave.

Para o Comandante do Esquadrão Orungan, Tenente-Coronel Antônio Ferreira de Lima Junior, a unidade está pronta para explorar a capacidade de armamento da aeronave. “Capacitamos a tripulação e testamos a precisão do sistema de armamento”, avalia. O esquadrão já planeja o próximo exercício. “Em 2016, vamos fazer o lançamento de torpedos”.

O Comandante da Segunda Força Aérea (II FAE), Brigadeiro do Ar Roberto Ferreira Pitrez, ressalta a importância do treinamento com armamento pela Aviação de Patrulha. “Estamos trabalhando para proteger o mar territorial brasileiro, a economia e, consequentemente, a população. Na avaliação do oficial-general, é a retomada da capacidade bélica da Aviação de Patrulha. Assista ao vídeo:

Motivação - Para a tripulação, a Patrulha está passando por um momento especial. “Estou há 19 anos no esquadrão, acompanhei todo o processo de aquisição do P-3AM. Foram muitosMilitares armam o P-3AM   Cb V. Santos estudos, muita preparação, para conseguirmos armar a aeronave e lançar a bomba. Sinto-me realizado pessoalmente e profissionalmente”, afirma o Sargento Itacir Natal Rosin.

Já o Sargento Thiago Neves destaca a motivação do esquadrão. “Essa é uma missão de extrema importância. Estamos vibrando com mais esse passo que estamos dando”. Para o Capitão Adilson Barroso Cypriano, trata-se de mais uma conquista que demonstra a potencialidade da aeronave.

Veja na reportagem como foi o lançamento de bomba: