SEGURANÇA DE VOO

Aeroporto de Londrina poderá operar em condições meteorológicas adversas

Adequação permitirá decolagens mesmo com mau tempo
Publicado: 18/09/2015 06:00
Imprimir
Fonte: CINDACTA II/Agência Força Aérea

O Aeroporto José Richa, de Londrina (PR), permitirá, a partir desta sexta-feira (18/09), a decolagem de aeronaves mesmo em condições meteorológicas adversas. A mudança é o resultado da validação, por parte do Comando da Aeronáutica (COMAER), e do esforço conjunto da Infraero e da Prefeitura, na preservação do entorno do sítio aeroportuário livre de obstáculos, conforme os parâmetros internacionais de segurança.

Agora, basta a visibilidade horizontal ser superior a 600 metros para qualquer aeronave de dois ou mais motores, a jato ou turboélice, poder obter aprovação para realizar a operação de decolagem. Até então, as aeronaves comerciais somente eram autorizadas a iniciar os procedimentos de decolagem quando as condições permitiam uma visibilidade horizontal maior que 2.900 metros e altura das nuvens superior a 215 metros.

“Desta forma, haverá uma diminuição significativa da retenção de aeronaves em solo e o acúmulo de passageiros no saguão do aeroporto aguardando a melhoria das condições climáticas passará a ser uma situação bastante rara”, afirma o Major Especialista em Controle de Tráfego Aéreo, Ricardo Bringhenti Marotta.

Segundo a Superintendência da Infraero em Londrina, o aeroporto deve contabilizar um movimento da ordem de 1,1 milhão de passageiros neste ano.

“O principal problema enfrentado é a neblina. Com o fechamento no período da manhã por causa do mau tempo cerca de 400 pessoas são afetadas diariamente. Essa nova condição do aeroporto deve trazer muitos reflexos positivos para a cidade, que tem como ponto forte a área de negócios”, explica o superintendente da Infraero em Londrina, Marcus Vinícius Rezende Pio.