AJUDA HUMANITÁRIA

Esquadrão Pelicano resgata homem atacado por animal em Mato Grosso do Sul

O resgate aconteceu na madrugada desta segunda (14/09) com o auxílio de óculos de visão noturna
Publicado: 14/09/2015 15:06
Imprimir
Fonte: 2°/10° GAV/AGÊNCIA FORÇA AÉREA

Atendimento vítima pisada de búfalo  Sgt Prates - 2°/10° GAVUm helicóptero UH-1H do Esquadrão Pelicano (2º/10º GAV), da Força Aérea Brasileira (FAB), resgatou na madrugada desta segunda-feira (14/09) um homem de 60 anos ferido por um búfalo. O acidente ocorreu na Fazenda Paiol, distante 70 quilômetros de Corumbá (MS). A vítima foi transportada até o aeroporto da cidade, onde uma equipe do SAMU já aguardava o paciente.

O acidente ocorreu por volta das 21h (horário de Brasília). O SALVAERO Curitiba, unidade da Aeronáutica responsável pela coordenação das missões de Busca e Salvamento, foi acionado pelo Terceiro Grupamento de Bombeiros Militar de Corumbá.

Os militares da FAB partiram de Campo Grande por volta de meia-noite e chegaram às 3h30min ao local, considerado de difícil acesso por via terrestre. Na missão, conforme explica o Capitão Aviador Miguel Lis Bruno, comandante da aeronave, toda navegação operacional foi realizada com os Óculos de Visão Noturna (NVG).

“Quando chegamos, o pessoal da fazenda acendeu os faróis dos maquinários para nos balizar. Havia vários pontos de alagamento, mas encontramos uma área de pouso segura. Se não fosse o NVG, certamente a execução dessa missão seria impraticável”, ressalta o militar.

O paciente foi operado e se encontra estável. O Tenente Médico Dyego Santos Queiroz participou do resgate e explica as condições em que o homem se encontrava. “O quadro dele era grave, mas estável. Tinha muita perda sanguínea e necessitava de procedimento cirúrgico urgente, pois havia até mesmo o risco de morte”, explica o Tenente Santos.

O helicóptero utilizado na missão estava equipado com oxigênio, ventilador mecânico e cardiodesfibrilador. “Para nós da tripulação é muito gratificante participar de um resgate dessa natureza. Nós treinamos para podermos contribuir com a sociedade e estamos prontos para isso”, finaliza o Capitão Miguel.