ESPECIALISTA

Base Aérea de Anápolis inaugura monumento em homenagem a especialistas e pioneiros

Treinados em 1970 na França, os 47 militares fizeram a manutenção do 1º caça supersônico operado pela FAB
Publicado: 21/08/2015 11:17
Imprimir
Fonte: BAAN

FAB_BAAN_praça_especialista_2015_02  3S HaronA Base Aérea de Anápolis (BAAN) inaugurou o Monumento aos Pioneiros e a Praça do Especialista, com a instalação do Mirage III. O evento foi realizado no último sábado (15/08) em Anápolis (GO).

 A cerimônia foi presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), Tenente-Brigadeiro do Ar Hélio Paes de Barros Júnior, ex-comandante do Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA) e da BAAN.

Os Suboficiais Nelson Honório Cardoso e Nelso Zuchelo participaram do evento, representando o grupo de 47 especialistas que viajou à França, em 1970, para aprender mais sobre o Mirage III. À época, a aeronave havia sido recém-adquirida pela Força Aérea Brasileira.  “Foi muito especial pra mim, que fiz parte de tudo isso, poder participar desse momento”, disse o Suboficial Zuchelo.

De acordo com o Comandante da BAAN, Coronel RodrigoFAB_BAAN_praça_especialista_honorioezuchelo2015_05  3S Haron Fernandes Santos, a praça foi pensada para homenagear os especialistas que ajudaram a fundar a Base Aérea de Anápolis e auxiliaram no cumprimento de sua missão. “Essa é uma homenagem para aqueles que fazem voar,” declara.

Pioneiros

Em 10 de maio de 1970, o então Ministro da Aeronáutica, Marechal do Ar Márcio de Souza e Mello, anunciava a escolha da aeronave F-103, Mirage III para equipar a Primeira Unidade de Interceptação na América do Sul. A organização militar realizaria a defesa da recém-transferida capital federal.

Dentro do processo de aquisição dos novos vetores, graduados especialistas em manutenção participaram de um curso de elevação de nível, posteriormente chamado de Curso do Mirage III, em São José dos Campos (SP). Em seguida, 47 militares viajaram para a França para conhecer um pouco mais sobre o novo avião FAB. Na oportunidade, eles foram capacitados para novas áreas a que seriam designados.

Esses cursos foram promovidos pela Força Aérea Francesa e por empresas envolvidas na fabricação dos Mirage III. Eles tiveram duração aproximada de 33 semanas para algumas especialidades. Após a adaptação na França, os pioneiros do Mirage III foram designados para o então Núcleo da Primeira Ala de Defesa Aérea, em 1972.