BUSCA E SALVAMENTO

Aeronáutica recebeu 69 comunicados falsos de acidentes aéreos em um ano

Equipes de coordenação evitam missões de busca sem necessidades
Publicado: 27/06/2015 09:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

  Entre janeiro e dezembro de 2014, o Comando da Aeronáutica recebeu 69 alertas propositais falsos de acidentes aeronáuticos por meio da ativação de balizas de emergência de aeronaves. A informação consta no Anuário SAR (do inglês Search and Rescue) elaborado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

Saiba como funciona o sistema de localização via satélite

Apesar dos acionamentos indevidos, nenhum dos casos resultou em decolagens de aviões e helicópteros para missões de busca. "Resolvemos a grande maioria dos acionamentos com ligações telefônicas", conta o Capitão Marconi Augusto Farias Oliveira, do Salvaero Curitiba, que atua na coordenação de missões de busca no sul do Brasil.

  De acordo com o Capitão, além dos casos em que alguém tenta enganar o sistema de busca e salvamento, também há aqueles em que os sistemas de emergência são acionados por engano. "Os casos mais comuns são acionamentos inadvertidos, atrasos decorrentes por intempéries meteorológicas, não informação de pouso e cancelamento de plano de voo por instrumento por parte dos pilotos", explica o militar.

O artigo 58 do Código Brasileiro de Aeronáutica prevê indenização à União por quem provocar a movimentação desnecessária de recursos de busca e salvamento por negligência, imprudência ou transgressão. Apesar disso, a Aeronáutica tem priorizado o trabalho de conscientização.

Três mil ocorrências

Para evitar o acionamento de aeronaves para uma busca falsa, com gastos de combustível, as equipes dos Salvaero - localizados em Brasília, Curitiba, Recife e Manaus - buscam o maior número de detalhes possíveis de cada ocorrência. Foram mais de três mil só em 2014. 

  “Sempre que recebemos um alerta, independente do horário ou da natureza, procuramos agir com rapidez e precisão. Usamos todos os recursos disponíveis para confirmar a real condição da aeronave que emitiu o alerta, inclusive, se necessário, com o emprego de aeronaves", afirma o Capitão Marconi. Hoje, são aproximadamente nove comunicados por dia, em todo o País, entre mensagens dos sistemas de emergência via satélite e outras formas de comunicação.

Entre 2012 e 2014, cerca de nove mil ocorrências foram registradas pelos Salvaero, sendo que aproximadamente 7% desses casos eram situações reais que envolveram algum esforço de busca e salvamento, inclusive com a participação de aeronaves. Essas missões, de caráter humanitário, são gratuitas e atendem a toda embarcação ou aeronave desaparecida ou acidentada, independente de sua nacionalidade.

Por força de acordos internacionais, o Brasil presta o serviço de busca e salvamento em uma área superior a 22,5 milhões km², quase três vezes o território continental.