ORDEM DO DIA

Serviço de Informação Aeronáutica

Serviço cada vez mais confiável e integrado, em benefício da segurança, regularidade e eficiência da navegação aérea
Publicado: 15/05/2015 10:46
Imprimir
Fonte: DECEA

  Há exatos 62 anos, no berço da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), com o intuito de promover a segurança da navegação aérea mundialmente, foram adotados as Normas e os Métodos Recomendados relativos ao Serviço de Informação Aeronáutica (AIS), materializados no Anexo 15 à Convenção de Chicago.

O desenvolvimento do AIS vem sendo impulsionado, ao longo dos anos, pela evolução tecnológica e pelo tráfego cada vez maior de aeronaves, o que exige do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) visão prospectiva, dinamismo na tomada de decisões e atenção contínua no que concerne à capacitação e ao aperfeiçoamento dos recursos humanos.

Ciente da importância do AIS para a comunidade aeronáutica e em face dos compromissos assumidos com a OACI, o DECEA trabalha incessantemente na transição do modelo atual para o Gerenciamento da Informação Aeronáutica (AIM), com o objetivo de prestar um Serviço cada vez mais confiável e integrado, em benefício da segurança, regularidade e eficiência da navegação aérea.

Para alcançar êxito nesse empreendimento, vários projetos estão em andamento, entre eles a Sala AIS Virtual. Nesse contexto, destaca-se o pioneirismo da implantação do Centro de Informação Aeronáutica de São Paulo (C-AIS SP), em 17 de outubro de 2013, o qual absorveu as operações das Salas AIS de Congonhas e Campo de Marte e dos voos por instrumentos procedentes da Região de Informação de Voo (FIR) de Curitiba, habilitando o acesso dos usuários por mensagem fax, por telefone, de forma presencial ou pela Internet. Posteriormente, foi autorizada a utilização do C-AIS SP para os voos IFR (por Instrumento) de aeronaves militares decolando de qualquer aeródromo no Brasil. Ademais, está prevista para o final de 2016 a criação dos C-AIS definitivos, no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) e em São José dos Campos, o que implicará a ampliação do número de aeródromos atendidos e a consequente redução gradual da quantidade de Salas AIS em operação nos moldes atuais. Com esse esforço, o DECEA almeja a melhoria na prestação do Serviço, o atendimento padronizado, além da distribuição equânime de mão de obra especializada.

Além disso, foi implantado, no Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), o Sistema de Gerenciamento de Informações Estáticas, que pode ser definido como o conjunto formado por base de dados centralizada e por ferramentas automatizadas para a confecção da Publicação de Informação Aeronáutica (AIP), da Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER), dos procedimentos de navegação aérea e das cartas de rotas. Assim, todas essas publicações, incluindo as cartas relacionadas à implantação da Navegação Baseada em Performance, já são elaboradas no novo Sistema. As demais Cartas estão em fase de migração, que ocorrerá até dezembro de 2019.

Será finalizada em 2017 a implantação do Sistema de Gerenciamento de Informações Dinâmicas, que se fundamenta em base de dados centralizada e ferramentas para o recebimento, análise e transmissão de NOTAM. Como vantagens para os usuários, destacam-se a integridade e a confiabilidade das informações divulgadas.

Somado a todos esses empreendimentos, o Subdepartamento de Operações do DECEA (SDOP) está em coordenação com os Órgãos Regionais para ajustar o processo de solicitação de atualização da informação aeronáutica, com ênfase no "software Planning Extensions", que simplificará o trâmite entre Organizações e garantirá o controle do processo e a integridade das informações aeronáuticas.

Por fim, à luz do conceito AIM, foram mapeadas as novas funções do profissional AIS e está em planejamento a definição do plano de carreira, a elaboração e a atualização dos documentos pedagógicos dos cursos a serem realizados.

Companheiros AIS, neste 15 de maio de 2015, Dia Internacional do Serviço de Informação Aeronáutica, congratulo-me com todos vocês, concitando-os a permanecer no caminho virtuoso da prestação de um serviço cada vez melhor e a refletir sobre a constante necessidade de quebra de paradigmas, como forma de assegurar o permanente reconhecimento de toda a comunidade aeronáutica.

Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino
Diretor-Geral do DECEA