ESPECIALISTAS

A Escola de Especialista de Aeronáutica já formou mais de 70 mil sargentos

Conhecida como “Berço dos Especialistas”, a escola é o maior centro de ensino técnico militar da América do Sul
Publicado: 25/03/2015 11:32
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Há cursos para homens e mulheres  A unidade ocupa um espaço de aproximadamente 10 milhões de metros quadrados. A área construída é superior a 119 mil metros quadrados, contendo mais de 90 prédios administrativos e 416 residências. O efetivo é composto por quase 1.800 militares e civis. Atualmente, 1.841 alunos estudam ao mesmo tempo em três cursos de formação. Estamos falando da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), que completa 74 anos nesta quarta-feira (25/03) e é considerada o maior centro de ensino técnico militar da América do Sul.

“A missão principal é formar e aperfeiçoar os graduados do Comando da Aeronáutica. Aqui o aluno não recebe apenas instrução militar e, sim, uma formação cívica, intelectual e moral”, ressalta o Comandante, Brigadeiro Mauro Martins Machado.

O Suboficial Evandro da Costa Cordeiro é Especialista em Equipamento de Voo, da Base Aérea de Fortaleza. Ele entrou na escola em 1990, com apenas 16 anos, e diz que a experiência foi essencial para sua vida. “Lá, sem dúvida, eu me tornei uma pessoa melhor. Amadureci, passei a ter responsabilidades. Foi a escola que me deu a segurança para tomar a decisão mais importante da minha vida, a de ser pai. Sem falar que na EEAR eu pude realizar dois sonhos de criança, trabalhar com aviação e pertencer a Força Aérea Brasileira”, afirmou.

Aeronáutica tem hoje 24 mil especialistas no serviço ativo

Alunas da EEAR durante instrução  Atualmente a EEAR forma cerca de 650 alunos por semestre. Desde a sua criação (veja histórico abaixo) já foram formados mais de 70 mil sargentos, inclusive militares de Nações Amigas, como Angola, Equador e Venezuela.

Faustino Javier Arrua Torres é do Paraguai e se formou na especialidade de Equipamentos de Voo em novembro do ano passado. “O ensino na Escola é muito bom, os professores são muito bons”, disse ele.

Os alunos são oriundos de todos os estados brasileiros e permanecem na escola de um a dois anos, dependendo do curso (veja abaixo as formas de ingresso na EEAR). A rotina começa cedo com o toque de alvorada e só termina à noite. “Pela manhã nós realizamos o café da manhã e a arrumação dos alojamentos, em seguida, entramos em forma para a primeira jornada de aula. Depois participamos da parada diária e almoçamos. À tarde, temos mais instruções e, no final, jantamos. Após a refeição nós seguimos para o alojamento para cuidar dos uniformes e prepará-los para a revista de pernoite”, conta o aluno Pablo Xavier Medeiros, 24 anos, da especialidade de Bombeiros.

A professora Doutora Maria Helena é Coordenadora do Curso de Língua Portuguesa da EEAR. Ela já está há 30 anos na escola. “Trabalhar na EEAR sempre foi um motivo de muito orgulho e um imenso prazer. Durante esses anos, nosso trabalho pôde contar com o apoio dos oficiais responsáveis pelo ensino, o que nos permitiu contribuir com a formação integral do militar da Força Aérea Brasileira”, destacou.

A EEAR é importante também para a cidade de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba do Sul, a 176 km de São Paulo, onde está localizada. Ela é responsável por boa parte do Produto Interno Bruto (PIB) do município e contribui com a movimentação da economia local.

For  mas de ingresso
Existem duas formas de ingresso na EEAR. Por meio do Exame de Admissão ao Curso de Formação de Sargentos, que tem duração de dois anos e exige ensino médio completo. Ou por meio do Exame de Admissão ao Estágio de Adaptação à Graduação de Sargentos, com duração de seis meses, que exige o ensino médio completo para os candidatos a especialistas em música e curso técnico nas demais especialidades.

Acesse o site da EEAR

Os cursos compreendem 28 especialidades, que envolvem desde o grupamento básico, como Equipamentos de Voo, Material Bélico e Mecânica de Aeronaves até o grupamento de serviços, a exemplo de Administração, Informações Aeronáuticas e Enfermagem.

Anualmente são inscritos em torno de 30 mil candidatos. No ano passado, os cursos mais concorridos foram: Controladores de Tráfego Aéreo, com 37,2 candidatos por vaga; o Estágio de Adaptação a Graduação de Sargentos, com 33,4 candidatos por vaga; e o Curso Formação de Sargentos, com 28,3 candidatos por vaga.

Formatura na EEAR  “Eu estudei muito para conseguir meu objetivo e me tornar uma Sargento da Força Aérea Brasileira”, ressalta a aluna Ariane Ferreira Leonardeli Teixeira, 22 anos, da Especialidade de Suprimento.

Ao final da formação, o aluno é promovido à graduação de Terceiro-Sargento podendo, ao longo de 30 anos de carreira, passar a Segundo-Sargento, Primeiro-Sargento e Suboficial. Por meio de concurso interno, eles podem ingressar nos quadros de oficiais especialistas, alcançando o posto de coronel.


Histórico

A EEAR foi fundada em 25 de março de 1941 em decorrência das necessidades surgidas na II Guerra Mundial de incrementar a formação de técnicos, em número suficiente para atender à demanda. Inicialmente, foi instalada na Ponta do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ). Nessa mesma época, em São Paulo (SP), foi criada a Escola Técnica de Aviação, passando a completar a formação de especialistas. Em 1950, houve a fusão das duas escolas e sua sede mudou para Guaratinguetá, interior de São Paulo, onde se localiza até hoje. 

Conheça o dia a dia do aluno na Escola de Especialista de Aeronáutica: