LOGÍSTICA

Unidade que gerencia material bélico da FAB completa 70 anos

O Parque de Material Bélico distribui e adquire armas, equipamentos e munições
Publicado: 20/03/2015 16:41
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Tropa durante solenidade  Sgt Rezende / Agência Força AéreaO Parque de Material Bélico da Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAMB-RJ), unidade responsável pela logística de armamentos da Força Aérea Brasileira (FAB), celebrou sexta-feira (20/03) os 70 anos de criação. Para marcar a data, foi realizada uma cerimônia militar presidida pelo Comandante-Geral de Apoio (COMGAP), Tenente-Brigadeiro do Ar Dirceu Tôndolo Nôro, com a presença de diversas autoridades.

A organização militar gerencia o processo de aquisição, manutenção, distribuição e suprimento de armas, equipamentos e munições de diversos calibres, desde o cartucho 9 mm ao míssil de quarta geração. Esses armamentos também são armazenados e estocados em depósitos regionais de material bélico espalhados pelos comandos aéreos regionais em todo o Brasil.

“O PAMB-RJ, como único parque de material bélico da Força Aérea, significa a capacidade da FAB em cumprir sua missão como Força”, afirmou o Diretor de Material Bélico, Major-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior.

Os militares gerenciam, também, armas ou equipamentos em exercícios operacionais, como em 2014, durante o treinamento de pilotos de caça com diversos tipos de mísseis na operação BVR3, realizada em Anápolis (GO); e o emprego de bombas inteligentes no caça A-1M, em Santa Maria (RS).

Com mais de 200 militares no efetivo, o PAMB-RJ disponibiliza os itens bélicos nas quantidades e prazos previstos pelo Estado-Maior da Aeronáutica para proporcionar o treinamento dos profissionais e a capacitação dos vetores aéreos.

Segundo o Subdiretor de Sitemas Bélicos, Brigadeiro do Ar André Luiz Fonseca e Silva, a evolução do ramo de armamento, hoje em dia, é muito rápida. “Nossa meta é acompanhar ao máximo todas essas evoluções”, declarou.

O Sabre da Força

A criação do Parque de Material Bélico se confunde com a história do Primeiro Grupo de Aviação de Caça e da Segunda Guerra Mundial, na década de 40, quando a FAB percebeu a necessidade de modernizar sua gestão de armamentos. Em 16 de março de 1945, então, foi criado o Depósito de Material Bélico da Aeronáutica, que tinha a missão de receber, estocar e distribuir todo o material bélico da Força Aérea. Em 1974, a unidade passou de Núcleo para Parque de Material Bélico de Aeronáutica do Rio de Janeiro. Toda essa história é contada no livro “O Sabre da Força”, do autor Mauro Lins de Barros.

A publicação foi lançada durante a cerimônia de 70 anos. Segundo o autor, a evolução do armamento acompanha a evolução tecnológica do Brasil.

“A chegada do grupo de caça ao Brasil implicou na chegada de unidades aéreas com equipamentos modernos. Nesse contexto, o PAMB-RJ foi criado. A organização tem dado uma contribuição importantíssima para o desenvolvimento da industria bélica no Brasil”, finalizou.


Assista ao vídeo da cerimônia de celebração dos 70 anos do PAMB-RJ: