ELEIÇÕES 2014

FAB distribui urnas em 20 localidades no Acre nesta quinta-feira (23)

Em todo o estado, helicópteros da FAB chegam a diversos locais de difícil acesso, como seringais, aldeias indígenas e comunidades ribeirinhas
Publicado: 23/10/2014 14:05
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

A Força Aérea Brasileira distribui ur  nas eleitorais em 20 localidades do Acre nesta quinta-feira (23). A região fica entre as cidades de Cruzeiro do Sul e a capital Rio Branco. Durante a missão, estão sendo empregados dois helicópteros H-60 Black Hawk da FAB. Um deles já realizou, nos últimos três dias, o transporte de 24 urnas eletrônicas e de mais de 60 mesários, policiais civis e policiais militares, para dez localidades do estado.

O Acre possui 42 locais de votação em áreas de difícil acesso, como seringais, aldeias indígenas e comunidades ribeirinhas. As comunidades Icuriã 78 e Icuriã 79, por exemplo, são seringais que ficam isolados em meio à selva amazônica ocidental. Os helicópteros Black Hawk partiram da cidade mais próxima, Assis Brasil, na fronteira com a Bolívia, para levar 15 mesários e quatro urnas.

A distância de 70 km de estrada em meio à selva foi vencida por apenas 15 minutos de voo. “Essas comunidades são de acesso limitado. Dificilmente vai carro”, explica o chefe do posto eleitoral de Assis Brasil, Jair Jerônimo Evaristo. De acordo com ele, as duas seções reúnem cerca de 400 eleitores que não podem ir até a cidade para votar. “Não tem como vir para cá nessa época. Só de helicóptero mesmo”, explica antes do embarque.

Um pouco antes do pouso, durante a aproximação, é possível avistar algumas casas numa clareira. É necessário fazer uma passagem para certificar se é a localidade designada e qual a melhor área para o pouso. O único espaço disponível é uma área de terra. Ao descer, o giro das pás fez a poeira subir.

Foram apenas cinco minutos em solo, tempo suficiente para as sete pessoas e as duas urnas deixarem o helicóptero. “É tudo muito rápido para conseguirmos atender a todas as localidades. Tem que otimizar ao máximo o tempo e a autonomia da aeronave”, explica o mecânico da tripulação, Suboficial João Henrique de Farias Coelho.