SEGURANÇA DE VOO

Manual de investigação para psicólogos será lançado em 2015

Brasil é pioneiro a estruturar documentos que orientam profissionais na atuação em acidentes aeronáuticos
Publicado: 02/09/2014 16:34
Imprimir
Fonte: CENIPA

Psicólogos discutem metodologia para investigação  Sgt Flávio SantosPsicólogos que pesquisam os fatores humanos presentes nos acidentes aeronáuticos terão, a partir de 2015, um manual de investigação. O documento define metodologia e oferece suporte teórico aos profissionais do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER) especializados em identificar os fatores humanos nas ocorrências.

Um grupo de 16 psicólogos civis e militares que trabalham com acidentes aeronáuticos reuniu-se no CENIPA (entre abril e agosto de 2014) para estruturar o manual. Os psicólogos pesquisaram a fundamentação teórica e a metodologia dos trabalhos de investigação, para propor ferramentas e aperfeiçoar a definição operacional dos atributos que compõem os fatores contribuintes dentro do aspecto psicológico.

“Estamos oferecendo uma orientação aos psicólogos que trabalham com investigação de acidentes aeronáuticos no Brasil, país pioneiro nesse tipo de documentação”, explica a assessora de Fatores Humanos do CENIPA, Tenente-Coronel Psicóloga Laura Suely Cavalcante Marcolino da Silva.

Material da OACI oferece diretrizes gerais

A Organização de Aviação Civil Internacional (OACI) disponibiliza na Circular de Investigação de Fatores Humanos (Circular 240-AN/144) um check list, no qual vários fatores relacionados à participação humana nos eventos são apresentados, incluindo comportamentais, médicos, operacionais, relacionados à tarefa, ao projeto de equipamentos, ao ambiente, à transferência de informações, entre outros. Com o seu próprio manual, o Cenipa amplia esse conteúdo e fa
cilita o trabalho do investigador com ações mais específicas.

Teoria contemporânea guiará trabalho do psicólogo-investigador
O manual de investigação será embasado na teoria do acidente organizacional, estabelecida pelo psicólogo inglês James Reason. Como natural evolução, a proposta do grupo é a atualizar o manual em 2017 com nova vertente teórica: o acidente sistêmico, abordado por Erik Hollnagel, pesquisador que fará palestra na IV Jornada Latino-Americana de Fatores Humanos e Segurança Operacional, que será realizada em Brasília (DF), em 2015.

A minuta do manual de investigação está em fase de elaboração pela Assessoria de Fatores Humanos do Cenipa. “O diálogo no momento de propor um
manual é muito importante. Queremos ouvir a opinião de outros profissionais com expertise no assunto, para apresentar uma visão diferente em relação a quem elaborou o manual. Por isso, antes de ser aprovado, o documento passará por análise desse grupo de profissionais para os ajustes que se fizerem necessários”, esclarece a Tenente-Coronel Laura.

Depois dos comentários recebidos e dos ajustes realizados, o manual será consolidado para lançamento em 2015. A próxima turma de alunos do Curso de Fatores Humanos do CENIPA já terá currículo atualizado com base no conteúdo do manual.

Entusiastas da investigação do fator humano
O grupo de psicólogos que realizaram o trabalho de atualização foi composto por profissionais de diferentes segmentos da aviação. Além dos psicólogos civis e militares do Cenipa e dos Seripa, também participaram representantes de companhias aéreas, da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e da Associação Brasileira de Psicologia da Aviação.

Psicólogos podem compor Comissão de Investigação
A comissão de investigação de acidente aeronáutico, de acordo com legislação do Cenipa (NSCA 3-13), pode ser composta por pilotos, engenheiros, mecânicos, médicos e psicólogos. Os três grandes fatores investigados são operacional, material e humano.

Desde 1986, o
Cenipa forma profissionais especialistas em investigar o aspecto psicológico com o objetivo de identificar sua contribuição para os acidentes aeronáuticos.