CENIPA

Encontro destaca prevenção de acidentes aeronáuticos no âmbito das organizações militares

Publicado: 03/04/2014 15:12
Imprimir
Fonte: CENIPA

Com o objetivo de destaEvento destaca o alto nível dos palestrantes  2S Flávio Santoscar a prevenção de acidentes aeronáuticos nas organizações militares, despertar o interesse da prevenção e contribuir para o aprimoramento da segurança operacional da aviação militar, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) realiza desde quarta-feira (02/04) no Centro de Convenções Militares em Salvador (BA) o segundo Encontro de Elos-Sipaer militares.

O Major-Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, chefe do CENIPA, abriu o encontro e fez uma convocação aos 180 profissionais da Força Aérea Brasileira, Exército e Marinha que participam do evento. “O CENIPA é um aliado de vocês. Ajudem a reduzir o número de ocorrências na aviação militar para elevar o nível de segurança de voo”, ressaltou o Brigadeiro Lourenço.

Nos primeiros dois dias do evento diversas palestras foram realizadas, como: Um panorama estatístico da aviação militar; Aspectos da aviação militar nas ocorrências aeronáuticas e suas conseqüências; Gerenciamento do risco; certificação militar; Influência do desempenho em acidentes aeronáuticos; e a influência da performance em acidentes com helicóptero.

A automação da cabine de pilotagem foi um dos temas desenvolvidos. O piloto de ensaios de voo da Embraer, comandante David Branco Filho destacou que a automação é um caminho sem volta. “O transporte aéreo tem sido o maior laboratório, com 25 milhões de decolagens por ano e 150 milhões de horas voadas. As aeronaves estão cada vez mais sofisticadas, a exemplo do Legacy 500 e do Gripen com seus sistemas de controle de voo”, afirmou o palestrante.

Já o Vice-chefe do CENIPA, Coronel Aviador Marcelo Marques Azevedo, falou sobre a reestruturação do Centro e destacou as três áreas básicas: divisão operacional, ligada à investigação de acidente na aviação civil e militar; o núcleo do Instituto de Prevenção, na capacitação e formação de profissionais, e a Divisão de Apoio. Explicou sobre a modernização das ferramentas de segurança de voo, bem como a criação de um modelo de correção de erros humanos, do tipo CRM (Crew resource management – Gerenciamento de Cabine) para a área de manutenção.

No segundo dia do encontro, acompanhado do Major-Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, o Brigadeiro do Ar Dilton José Schuck, que será o próximo chefe do C
Encontro valoriza a função do Oficial de Segurança  2S Flávio SantosENIPA a partir de 15 de abril, enalteceu o encontro de Elos-Sipaer como extremamente positivo pela qualidade da informação e pelo investimento na atividade de segurança de voo.

Temáticas de segurança de voo
Na parte da tarde, o chefe do Grupo de Acompanhamento e Controle da Embraer, Coronel Aviador Alan Elvis de Lima, versou sobre a influência do desempenho em acidentes com helicópteros. Na opinião do especialista, o fator mais importante para evitar o acidente é o adequado planejamento de voo realizado pelo piloto. Já o Major Aviador Marcelo Zampier Bussmann, do Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo, explicou o desempenho de aeronaves e sua influência em acidentes aéreos.

Outro palestrante foi o diretor do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), órgão do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, Marcelo Franchitto. Ele destaca a certificação militar é a “segurança de voo invisível”, porém essencial. “O IFI não determina o requisito, ele garante que este se cumpra no processo de certificação militar”, afirmou. Até 2006, o IFI cuidava também da certificação da aviação civil, atualmente sob responsabilidade
da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que encampou essa parte na Lei de criação.

O evento será finalizado na próxima sexta-feira (04/04).