COMANDO

Ex-soldado assume comando da Base Aérea de Fortaleza

Publicado: 22/01/2014 16:53
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Coronel Paulo passa o Distintivo da BAFZ  BAFZO Tenente-Coronel Francisco Cláudio Gomes Sampaio assumiu o comando da Base Aérea de Fortaleza nesta terça-feira (21/1). Após uma carreira na aviação de caça, ele retorna 24 anos depois para comandar a Organização Militar onde trabalhou como soldado antes de passar na seleção da Academia da Força Aérea (leia abaixo entrevista com o Tenente-Coronel Cláudio).

A solenidade de passagem de comando foi presidida pelo comandante do Comando-Geral de Operações Aéreas, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e contou com a presença do comandante do Segundo Comando Aéreo Regional (COMAR II), Major-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando Dutra Bastos. Após três anos na Base Aérea de Fortaleza, sendo seis meses como comandante, o Coronel Paulo Servo Costa Filho segue para a Diretoria de Administração Pessoal, no Rio de Janeiro

Futuro da Base Aérea de Fortaleza

Para 2014, o novo comandante destaca a importância da Base Aérea de Fortaleza para as ações de segurança durante a Copa do Mundo e também durante a reunião de cúpula que deve reunir os Chefes de Estado dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que acontecerá em julho na capital cearense. "Nossa missão é apoiar as unidades aéreas que operem aqui, e esse é um serviço muito importante para o País", destacou o Tenente-Coronel Cláudio.

Após a transferência do Esquadrão Rumba para Natal, a Base Aérea de Fortaleza permanece como sede do 5º Esquadrão do 1º Grupamento de Comando e Controle (5º/1ºGCC), de um Batalhão de Infantaria, de um hospital, da Prefeitura de Aeronáutica de Fortaleza (PAFZ) e do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA). Ao todo, 116 militares foram transferidos, mas mais de mil pessoas, entre civis e militares, permaneceram em Fortaleza.

"É uma Base importante para a Força Aérea. E ela continua com a responsabilidade de dar apoio para toda aeronave que passe por Fortaleza", explicou o Tenente-Brigadeiro Rossato. Ele lembrou ainda que a Organização Militar continuará a ser o local para inspeções das aeronaves C-95M, além de poder receber outras aeronaves temporariamente, como os aviões P-3AM, de patrulha marítima.

De soldado a comandante
Entrevista com o Tenente-Coronel Francisco Cláudio Gomes Sampaio

Qual a motivação que o levou a servir como soldado?
A admissão como soldado foi uma grande surpresa e modificou significativamente os rumos de minha vida. A minha intenção à época não era a de prestar o serviço militar. Os meus planos eram totalmente diferentes. Eu cursava Física na Universidade Federal do Ceará (UFC) e nas Casas de Cultura Estrangeira, ligadas à UFC, estudava alemão, russo e inglês. Meus objetivos eram finalizar a faculdade de Física e tentar um mestrado na Alemanha ou na Rússia, daí o estudo dessas línguas. A opção pela Força Aérea foi simples e fácil, por conta da admiração pessoal pela aviação e pelos saudosos AT-26 Xavante que cruzavam diariamente os céus alencarinos [como é chamado quem nasce em Fortaleza]. Já admitido e próximo ao final do curso, em novembro de 1987, fiz o concurso da Academia da Força Aérea e consegui aprovação. Na AFA, identifiquei a minha vocação como piloto de combate.

Como avalia a experiência adquirida durante este período?
Os ensinamentos da época de soldado formaram a base cultural, ética e militar que facilitaram a vida como cadete. Assim, as dificuldades de adaptação [no que se refere à parte militar] tornaram-se mais amenas. Além disso, conhecer a realidade de vida, a rotina, as dificuldades e os desafios por que passam nossos soldados facilitou a minha vida como oficial, pois permitiu-me, em primeiro lugar, respeitá-los, e também motivá-los em direção ao cumprimento de nossa missão constitucional.