ESPORTE

Militares da FAB são destaque em campeonato de tiro

Publicado: 27/11/2013 16:27
Imprimir
Fonte: cda

Tenentes Rachel, Ligia e Cristina e Capitã Roberta, com as medalhas da Carabina  CDAEntre os dias 22 e 24 de novembro ocorreu, no Centro Nacional de Tiro Esportivo (CNTE), no Rio de Janeiro, a Copa Brasil de Tiro Esportivo, única competição no ano a reunir os melhores atiradores brasileiros em um mesmo local de prova. O evento foi a última etapa do Campeonato Brasileiro, torneio que foi realizado em 9 etapas durante todo o ano e contou com cerca de 600 atletas, entre eles oito militares da Força Aérea Brasileira (FAB).

Na classificação geral dos torneios promovidos pela Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE), o Coronel Julio Antonio de Souza conquistou o primeiro lugar nas categorias de Pistola de Ar e Pistola Standard, além do segundo lugar no Tiro Rápido e no Fogo Central. A Tenente Cristina Badaró Baptista de Mello, da Base Aérea de Santa Cruz (BASC), garantiu a segunda colocação na Carabina de Ar.

SO Vladimir da Silveira e Cel Julio Antonio tiveram destaque na Pistola  CDA

Nas categorias de Pistola Esportiva e Pistola de Ar, a Tenente Rachel Maria de Castro da Silveira, da Diretoria de Tecnologia da Informação da Aeronáutica (DTI), fechou o torneio com a terceira e quarta posições, respectivamente. Do Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), a Tenente Ligia Fontes da Silva Ferreira também subiu ao pódio na prova de Carabina de Ar. O Suboficial Vladimir da Silveira, representante Parque Material Aeronáutico do Galeão (PAMA-GL), ficou com a quarta colocação na Pistola Livre.

 

O Campeonato Brasileiro apresenta quatro modalidades de disputa - Tiro com Carabina, Tiro com Pistola, Provas Especiais e Tiro ao Prato – todas com subdivisões, contabilizando 28 categorias de competição. A Confederação Brasileira de Tiro Esportivo é uma das entidades com raízes mais antigas do esporte nacional. Sua história começa em março de 1899, quando foi criado o Tiro Nacional, que congregava as Sociedades de Tiro do país. Depois de passar por várias mudanças de nome durante os anos, a organização recebeu a denominação atual no final da década de 1990.