SAÚDE

FAB transporta pulmão para transplante inédito no Centro-Oeste

Publicado: 07/11/2013 11:41
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Sob chuva, coração e pulmão chegam à Base Aérea de Brasília  Cb Bispo/ VI COMARUma aeronave C-97 Brasília da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou na noite desta quarta-feira (06/11) mais uma missão de transporte de órgãos. O avião, do Sexto Esquadrão de Transporte Aéreo (6º ETA), chegou à Base Aérea de Brasília por volta das 21 horas trazendo um pulmão e um coração de um doador residente no município de Hidrolândia (GO), que teve a morte encefálica confirmada após um traumatismo craniano. A captação dos órgãos foi realizada no Hospital Alberto Rassi (HGG), localizado em Goiânia.

A aeronave da FAB decolou de Goiânia às 20h30. Além da equipe médica, um familiar do receptor acompanhou o traslado.

Assim que pousaram na capital federal, os órgãos foram transportados por um helicóptero do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal para o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF).

O receptor, identificado apenas por L.A.S, de 67 anos, foi o primeiro paciente da região Centro-Oeste a ser submetido ao transplante de pulmão. A operação foi realizada na noite de quarta-feira (06/11) pelos médicos Cláudio Ribeiro da Cunha, Vivaldi Lobato e Jorge Fernando Moreira no ICDF e ocorreu sem intercorrências, conforme a terminologia médica. A cirurgia durou cerca de sete horas e o paciente recupera-se bem na UTI, segundo os médicos.

O receptor do pulmão sofria de enfisema pulmonar grave e insuficiência respiratória. Usava oxigênio suplementar desde o início deste ano. Foram três meses na fila de espera por um órgão compatível.

Apoio logístico - Com esta missão, a Força Aérea contabiliza apenas neste ano 48 ações envolvendo UTI Aérea, sendo 10 de transporte de órgãos, somente no Distrito Federal. “Fazer parte de um processo que pode ajudar a salvar vidas é muito gratificante. Para mim é a melhor missão que fazemos”, afirma o sargento Marcelo Pena, integrante da tripulação do 6º ETA.

A FAB integra o sistema brasileiro de transporte de órgãos. O esforço logístico da FAB também contribuiu para acabar com a espera na realização de transplantes no Distrito Federal, que lidera o número de cirurgias de transplante de córneas ao lado dos estados de São Paulo, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul.

O apoio às centrais de captação distribuídas pelo Brasil e o esforço logístico aéreo para acessar localidades de difícil acesso, como é o caso da região amazônica, proporcionaram à FAB o prêmio Destaque na Promoção da Doação de Órgãos e Tecidos 2013.

O troféu foi entregue ao Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito, pelo Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em setembro, durante o lançamento da campanha nacional de doação de órgãos, em Brasília (DF).