SEGURANÇA DE VOO

CENIPA é roteiro de estudos para futuros pilotos da Marinha

Publicado: 05/06/2013 10:47
Imprimir
Fonte: CENIPA

Alunos do curso de aperfeiçoamento de oficiais da Marinha do Brasil visitaram o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) nesta terça-feira (3/6) em Brasília. A comitiva formada por 33 militares e coordenada pelo Capitão de Fragata Jonathan Sidney da Silva deslocou-se da Base Naval de São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro, para conhecer as atividades de segurança de voo desenvolvidas pelo órgão investigador.

A comitiva foi conduzida pelo Capitão-de-Corveta Fuzileiro Naval Raul Lins Barradas Neto, oficial da Marinha que atua no CENIPA para o direcionamento de assuntos de segurança de voo à Força naval. Os visitantes conheceram o Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER), o Laboratório de Destroços - utilizado no treinamento de investigadores - e o laboratório de Análise e Leitura de Dados de Gravadores de Voo.

Segundo o Coordenador da comitiva, Capitão-de-Fragata Jonathan, a visita de estudos é um dos temas previstos no currículo do curso que funciona como prática de ensino, cujo objetivo é ampliar o conhecimento dos alunos nas questões essenciais da aviação. Além do CENIPA, os militares visitarão também a Embraer, o Instituto Tecnológico da Aeronáutica e outras empresas e organizações de interesse curricular.

O Chefe do CENIPA, Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, dirigiu breves palavras aos futuros pilotos e conclamou-os a seguirem os princípios da segurança de voo. “Acreditem na mensagem do SIPAER e sigam cada recomendação de segurança para preservarem suas vidas”, afirmou. Disse ainda, que o CENIPA trabalha de portas abertas, 24 horas, para atender todos os que buscam contribuir com a segurança da aviação.

A Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia é uma organização militar da Marinha do Brasil criada em 10 de maio de 1966. A Base é um centro de instrução e adestramento aeronaval. Possui homens e mulheres, que são preparados continuamente para atuar em qualquer conflito, dentro ou fora do país.