ÁGATA 4

Força Aérea e Exército fazem ação social conjunta em Barcelos (AM)

Publicado: 10/05/2012 11:40
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

Imagine sair de uma consulta médica e encontrar, na saída, um local para cortar o cabelo, artesanato para comprar, poder tirar certidão de nascimento e documento de identidade, além de alistar-se para serviço militar e até realizar exame para malária (o resultado sai em duas horas), entre outras atividades. Tudo isso foi possível graças à integração entre o Hospital de Campanha Fluvial da Força Aérea Brasileira e o Terceiro Batalhão de Infantaria de Selva (3º BIS), realizada nesta quarta-feira (09/05), em Barcelos (490 km de barco de Manaus).

A ação faz parte da Operação Ágata 4, deflagrada na semana passada pelo Ministério da Defesa e que reúne as três Forças Armadas (Marinha, Exército e Força Aérea Brasileira), além da Polícia Federal, Receita Federal, IBAMA e Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), entre outras agências públicas.

Segundo o Coronel de Infantaria Antonio Cícero Motta Lima, comandante do 3º BIS, a ação cívico-social integrada levou à população local atendimento médico e atendimento ao cidadão. “Trouxemos atividades e alguns serviços que não estão disponíveis no dia a dia ou que estão distantes, para levar o Estado mais perto da população”, explica.

O Hospital de Campanha Fluvial da Força Aérea vem realizando mais de 300 atendimentos médicos por dia em Barcelos, nas especialidades de clínica médica, ortopedia, pediatria, odontologia, dermatologia, ginecologia e citopatologia. A unidade de saúde tem o único aparelho de ultrassonografia da região – o equipamento mais próximo está em Manaus, a dois dias de barco pelo rio Negro.

A ação social realizada nesta quarta-feira envolveu a participação de diversos parceiros, como a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), o Cartório de Registro Civil de Barcelos, a Polícia Civil, a Pastoral da Criança, a Delegacia de Serviço Militar e as Secretarias Municipais de Saúde, Educação e de Assistência Social.

A Fundação de Vigilância e Saúde do município realizou exames de graça para identificar pessoas com malária. A região vem apresentando em média oito casos por dia da doença.